Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

COMO É QUE EU LEIO TANTO COM DUAS CRIANÇAS PEQUENAS?

InstaFit_20180411_13201288.jpg

 

A pergunta que mais me fazem é “como é que fazes para ler tanto com duas crianças?, ou “que raio de mãe és tu que passas tanto tempo a ler e não dás atenção aos teus filhos”? Hoje resolvi resumir tudo e escrever este texto para vos contar os meus segredos. Como é que eu faço para continuar a ler, respirar e ainda ter duas crianças ao meu cargo? É possível. Levem isto para a vida. Quando há vontade, há manobras.

 

Como fazes para ler tanto?

O dia tem 24 horas. Eu trabalho das oito às cinco. Menos oito horas. No entanto, durante a minha pausa de dez minutos do pequeno almoço costumo ler umas páginas. Leio sempre antes de dormir todos os dias. Normalmente das 22h às 23h, se o livro estiver muito bom ou se estiver quase a terminar avanço até ao fim. Tenho acordado às seis e leio vinte minutos. Durante o fim de semana, após o mais importante, durante algumas viagens mais longas ou pausas para relaxar durante as sestas ou brincadeiras deles leio algumas páginas. Quando não tenho aulas, leio um pouco antes dos miúdos chegarem do infantário e faço o jantar. Portanto, dedico meia hora no mínimo todos os dias à leitura. No mínimo. Todos os dias. É assim que eu faço. Eu não prescindo deste momento só meu. Sê inteira, diz Chimamanda. Concordo totalmente.

 

E quando eles eram mais pequeninos?

Durante a tarde ia ao jardim com eles ou a uma esplanada e levava um livro. Quando não tinha companhia, lia durante a sesta. Fazia isso várias vezes. Aproveitei bem o tempo que estive em casa. Que saudades!

 

O Gustavo sempre quis mais atenção que a Francisca, praticava fazia tudo com ele no sling. Não podia estar sozinho, chorava imenso. Lia no Kobo com a luz apagada um bocadinho antes de adormecer. Sempre fui muito ansiosa, não conseguia dormir no período das sestas dele à espera que acordasse para voltar a mamar. Com a Francisca, tornei-me uma mãe mais prática e relaxada. Fazia os mesmos passeios, mas ela era menos chorona, ajudou imenso. Nunca prescindi do tempo dedicado aos meus filhos, mas também nunca abandonei as minhas necessidades como dormir e cuidar de mim. Se tiveres ajuda de familiares, melhor! Pede, sem medos.

 

No fundo, a maior dica que posso dar é, perguntarem-se: porque quero ler com um bebé pequeno? Porque precisas de manter o ritmo de leitura na fase em que o teu filho ainda é bebé? A motivação tem de ser poderosa de forma a colocares no topo das tuas prioridades.

 

Para mim, a leitura está ligada ao meu desenvolvimento pessoal que por sua vez está ligada ao meu bem-estar emocional. Obviamente que passei por várias fases, lembro-me de ter lido um livro durante o mês nessa fase. Mas li tanto durante a gravidez e as malditas insónias.  Quando estão doentes, as dicas não valem nada. Se passar dias sem ler, está tudo bem. Não vou martirizar-me por isso. E lamento, não somos menos mães do que as mulheres que só se dedicam aos filhos e não fazem mais nada. Não somos menos mães porque não cozinhamos, limpamos, tratamos de tudo. Não somos menos mães se for o nosso marido a dar banhos, e vamos estudar. O pai tem a mesma responsabilidade. E se não tiver o mesmo jeito, está tudo bem!

 

A maternidade por mais bonita que seja, por mais importante que os meus filhos sejam, acho essencial estar bem, para eles estarem bem. A maternidade somente não chega para me deixar realizada. Assim como para o marido. Somos seres individuais com necessidades igualmente individuais. Não me resumo ao papel de mãe, sou outras mil coisas.

 

Nunca tive ajudas de ninguém para tratar dos meus filhos. Sempre fui eu e o meu marido a tratar dos dois. E sabem aquela equipa fantástica? Somos nós. O meu marido é peça importante, tal como eu, para tudo o que se passa nesta família. Não há ajudas, há cooperação. Muita coisa ficou de lado, mudou naturalmente. Claro que temos de fazer alguma ginástica. Temos de ceder muitas vezes. E está tudo bem!

 

E agora, quais são os segredos?

Sou organizada, não perco muito tempo na cozinha todos os dias, nem nos supermercados, nem a fazer quase nada. Como? Nos supermercados vou em períodos menos caóticos, final do dia, uma hora antes de fecharem. Preparo uma ementa quase semanal do que vou comer na semana seguinte. Nesse sempre. Faço receitas simples e fáceis. As mais complicadas ficam para os dias mais folgados. A casa é organizada ao longo da semana, no sábado gosto de fazer as limpezas maiores de manhã. Leio, priorizo a leitura, amo ler e coloco à frente de várias outras coisas. Eles brincam imenso, já querem o seu espaço, ficam mais tempo focados em tarefas. Eu sou prática, não complico. Fui aprendendo. Faço o que tiver de fazer com os dois. Não levo o mundo atrás quando saímos de casa. A casa, às vezes, está uma confusão e não stresso com isso. A casa é para viver. Outra coisa, não sou uma pessoa preguiçosa, sou metódica, e tenho um ritmo ligeiramente acelerado. E seria incapaz de passar os meus dias a lamentar sem fazer nada para mudar. Sou daquele tipo de pessoa que confrontada com problemas, procuro soluções. Se calhar, vou esquecer-me de algumas dicas, mas espero que estas sejam úteis na medida do possível.

 

Vamos ser práticos

Vamos ao lado prático das coisas. Com bebé ou sem bebé. Um dia tem vinte e quatro horas, menos dezasseis (oito para trabalhar, oito para dormir) sobram oito. Oito menos uma hora para necessidades básicas como comer, tomar banho, etc… sobram sete. Sete menos três horas que passo no curso sobram quatro. Ui, quatro horas, tratar dos miúdos, brincar, arrumar, lavar,… sendo duas horas, ainda me sobram duas horas. E o que eu faço com elas? Dedico-me às minhas metas pessoais, leio e escrevo. Às vezes, não faço nada, estou na internet, vejo imensos vídeos no YouTube, vejo séries, vou ao cinema, janto fora. Coisas de humano.

 

Gente, o tempo é igual para toda a gente. O meu dia não tem mais horas do que o vosso. Façam um diário do vosso dia, vejam quanto tempo gastam com certas atividades, vejam quanto tempo perdem na internet ou a ver televisão. Não deixem o mais importante para terceiro plano. Eu aprendi que o mais importante deve ser feito primeiro. Aposto que depois do diário de atividades vão descobrir maravilhas e encontrar meia hora para ler. Se o quiserem, realmente.

 

O desafio que eu lanço é: realiza um diário de atividades por três ou cinco dias. Se quiserem saber como fazer podemos falar melhor sobre isso num vídeo, o que acham?

 

AS MINHAS RESPOSTAS AO DESAFIO + PEDIDO

 

Chegou a hora de responder ao meu próprio desafio. Exatamente, cinco perguntas, inspiradas no livro 36 Perguntas que Me Fizeram Gostar de Ti, da autora Vicky Grant. E ainda tenho um pedido para te fazer. 

 

Obrigada a todos os que já responderam, aguardo a coragem de mais leitores e seguidores. O vídeo do desafio é este: AQUI

 

 goodreads twitter instagram facebook wook

ACORDAR CEDO | 9 MUDANÇAS

InstaFit_20180310_11534626 (1).jpg

 Compra AQUI

 

Dez dias depois e já tenho várias coisas para vos contar. Refleti bastante antes de escrever este texto para não me esquecer de nada. E ao fim de trinta dias voltamos a falar. Quero que este texto seja essencialmente um relato real, que vos sirva para alguma coisa. Serve para eu fazer uma análise e identificar as mudanças na minha vida. É a resposta à pergunta: vale a pena continuar?

 

Acho importante respeitar a minha individualidade e ouvir o que o meu corpo pede. Hoje, por exemplo, não me levantei às seis. Com o curso cada vez mais exigente, e o inicio de um projeto pessoal senti necessidade de ficar a descansar mais uma hora. No entanto, preparei uma refeição saudável. Não senti nenhuma espécie de remorso por não seguir o plano, porque respeitei a minha individualidade, ouvi o meu corpo.  É importante para mim. 

 

Posto isto, vamos lá. Quais foram de facto as mudanças nestes dez dias desde que comecei a acordar mais cedo?

 

- Comecei a fazer exercício

Precisava urgentemente de mexer os meus músculos. Quero fortalecer o corpo e atenuar as dores de coluna. Desde o ano passado que sofro com tendinites resultante da minha vida profissional desde os 22 anos. A minha osteopata disse-me que devia continuar com o exercício para não sofrer as consequências mais tarde, sobretudo com alongamentos. Parei de fazer exercício o ano passado devido a vários fatores, mas com o abandono tirou-me o foco. O exercício para além de fazer bem à saúde, ajuda-me a alimentar melhor, dá-me foco e permite-me levar a vida de forma mais leve. Está tudo ligado. A verdade é essa. Agora consigo fazer alongamentos (passo o dia sem dores), faço também exercício para começar a tonificar e fortalecer os músculos.

 

- Sinto menos sono

Ao contrário do que eu esperava passei a sentir menos sono ao longo do dia. Andava a beber demasiado café, agora estou a beber apenas dois por dia. Um de manhã, outro depois de almoço. Esporadicamente bebi um antes de ir para o curso. Fico mais ativa e energética. Já não sinto necessidade de dormir aquela sesta habitual de meia hora antes de ir para o curso.

 

- Durmo melhor

Sempre tive problemas para dormir. A minha vida inteira. Sabem quando vocês não param de pensar em mil coisas ao mesmo tempo? Sou essa. A minha mente não descansa, sinto-me esgotada, durmo aos bocadinhos

 

- Poupo dinheiro

Eu digo que está tudo ligado, não acreditam? Com mais tempo, mais foco, tenho mais tempo de dedicação para preparar as marmitas. Estes dias nunca mais fui comprar o pequeno-almoço ao café. Poupei uns trocos. E já consegui fazer quatro receitas saudáveis para implementar na minha rotina.

 

- Alimento-me melhor

No seguimento do ponto anterior, comecei a procurar por alimentos mais saudáveis e encontrar receitas mais saudáveis para continuar com energia. Levo marmitas, preparo as refeições com cuidado e sinto mais entrega da minha parte.

 

- Explorar a Meditação

Ainda estou a dar os primeiros passos em relação à meditação. Para mim ainda está a ser uma descoberta. Eu adoro explorar, aprender e reconheço os benefícios desta prática diária. Acordar e limpar mente é essencial para enfrentar os dias stressantes de hoje. Acalma a alma, o peito. Presumo que tenho ainda muito para explorar nos próximos dias.

 

- Menos stress

Fazer as coisas com mais calma pela manhã deixa-me menos stressada.  E os meus filhos notam, não precisamos de engolir o pequeno almoço, lavas os dentes a voar e dá tempo para mais abraços e beijinhos. Uma mãe stressada de manhã é esgotante para todos, não é verdade?

 

- Ler

Ler de manhã deixa-me feliz. Adoro acompanhar a leitura com um chá. É aquele momento especial cheio de amor por mim e pelos meus livros. Não vive sem a leitura, é onde encontro o meu equilibro e aquela paz que só os livros (e o cheiro dos meus filhos) me traz.

 

- Desconetar-me para conectar-me

Ligava a internet assim que acordava. Às vezes, confesso que ainda o faço. Quero responder aos comentários ou comunicar com as outras pessoas que de outra forma não consigo. No entanto, agora com esta nova rotina matinal prefiro sair da cama e ir para o meu cantinho conectar-me comigo mesma.

 

Sem extremismos, sem nenhum sentimento de culpa, esta rotina é para trazer coisas boas à minha vida. Respeito pelo minhas escolhas, preferências e gostos particulares. O livro Manhãs Milagrosas foi um ponto de partida, serviu de orientação que me ajudou a despertar para um caminho que vou percorrer e decidir o que funciona comigo e o que não funciona.   Espero ter contribuído para desviar o medo de começar, e mostrar que em dez dias vi os benefícios que ansiava desde o começo do ano. Mas ainda está a valer, a Primavera está a chegar.

 

 goodreads twitter instagram facebook wook

VERO | A NOVA REDE SOCIAL

 

Mudam-se os tempos, muda-se as vontades. Apareceu uma nova rede social que junta o melhor dos dois mundos das mais conhecidas redes sociais: o Facebook e Instagram. A rede social chama-se VERO e já podes fazer o teu registo depois do download da aplicação no teu telemóvel.

 

Ainda não sabemos se vai vingar e conseguir conquistar o público, mas tem duas coisas que gostamos muito. Quais são? O feed aparece por ordem cronológica e não és bombardeado com publicidade. O que podemos querer melhor? Óbvio que a tendência é daqui a uns tempos eles também encherem tudo com publicidade, mas até lá somos felizes. Mas a politica é essa, a VERO é contra a publicidade

 

Gostei bastante da imagem da VERO e acho sinceramente que o Facebook já deu o que tinha dar. Assim como aconteceu quando o Hi5 deu lugar ao Facebook, a VERO apareceu para tornar a concorrência maior e agradar ao publico que reclama do feed fora de ordem, ninguém merece fotos de cinco dias, e publicidade a todo o minuto. Para além disso se seguimos alguém queremos receber tudo o que a outra pessoa publica, certo? Eles não deviam escolher o que queremos consumir.

 

A rede social foi criada em 2016, mas só agora é que os utilizadores começaram a olhar para rede social com outros olhos. VERO, verdade em italiano, acabou por trazer o que o publico quer, algo mais real e sem algoritmos. Infelizmente a aplicação ainda não está a funcionar a cem por cento ( não consigo fazer o meu registo, mas sei de quem já conseguiu). Precisa de limar certos erros. Acredito que brevemente será a preferência da maioria. 

 

Já tinhas ouvido falar na VERO? O que achas, vai destronar o Facebook?

 

 

CORRENTES D'ESCRITAS 2018 | TRÊS LANÇAMENTOS

 

 

Correntes D’Escritas decorre na Póvoa de Varzim, começou no 21 dia e vai até 24 ao dia de Fevereiro. A Porto Editora cedeu-me três livros lançado no evento literário. Todos eles despertam imenso a minha curiosidade e serão leituras para breve. O programa do Correntes d’Escritas incluí a participação de vários autores da Porto Editora e a realização de lançamentos de novos livros: Bangladesh, talvez e outras histórias , de Eric Nepomuceno , e Gungunhana , de Ungunali Ba Ka Khosa (hoje, 22 ); e Um muro no Meio do Caminho , de Julieta Monginho (dia 23, 12:00), sempre na sala de atos do Cine-Teatro Garrett.

 

 

Já conhecias este evento literário? Ficaste curioso em relação a algum dos títulos referidos? Conta-me tudo nos comentários. Não te esqueças de deixar o teu like se gostaste do vídeo e de subscrever o canal.

 

goodreads twitter instagram facebook 

SUGESTÕES E DICAS

tempImage.jpg

 

Pois é, férias! Estou empolgada e feliz.

 

No entanto, antes de ir deixo algumas sugestões de leitura. Depois digam-me qual vos chamou mais a atenção ou qual gostaram mais. Escolhi praticamente os posts mais lidos na história deste blog.

 

Não se esqueçam que o passatempo Harry Potter termina no dia 12, podem comentar as vezes que quiserem. Fico contente que tenham gostado. A Potermania 2 começou hoje e eu já ando a ler o primeiro da série. No entanto, adianto que no domingo temos mais uma surpresa no canal do Youtube. Fiquem atentos.

 

Podem deixar sugestões de posts ou vídeos e deixar perguntas para um vídeo de perguntas e respostas quando regressar. Qualquer coisa que tenham curiosidade sobre o curso, lifestyle, organização, leituras, escritores, blog ou canal. Também podem sugerir um videoclip para o próximo "videoclip reacção" da rubrica "Life is Mixtape". Estão à vontade. 

 

Sugestões de leitura:

 

GIVEAWAY REGRESSO ÀS AULAS HARRY POTTER + CONVITE

Os livros são episódios da minha vida

Li os dez livros das Crónicas Gelo e Fogo!

Ler vários livros ao mesmo tempo

A Terceira Condição | Amos Oz

O Despertar | Kate Chopin

Um pouco de cinema com "Café de Flore"

"SEJA FELIZ SEM DIETAS" | MAFALDA RODILES 

A Rapariga no Comboio | Reacção, opinião do livro e filme 

Lista Traduzida Completa | Desafio de Leitura de Rory Gilmore 

A Vegetariana | Han Kang 

10 COISAS QUE APRENDI COM OS BLOGUES 

"FUI EU QUE FIZ" | MARGARIDA GARCIA E MARIANA GÓIS 

48 livros que precisas ler aos 30 anos 

Como ler cinquenta livros num ano

15 Escritores Que Influenciaram a Minha Vida

 

Até breve. Boas leituras para todos!

goodreads twitter instagram facebook

ESCREVER E SER ESCRITOR (E ALGUMAS SUGESTÕES LITERÁRIAS)

 

 

Escrevo desde os oito. Escrevi três livrinhos. O diário do André (inspirado nos diários de Adrian Mole), a história da Inês e outro inacabado cujo o nome da protagonista não interessa. Pedi uma máquina de escrever com nove anos e ainda a guardo no quarto com carinho. Enquanto não descobri a literatura pensei ser uma possível escritora. Pensei ter qualidades, maturidade e noção de todas as características para um romance. Fui para a escola, sonhava através das composições com mundos imaginários muito elogiados pelo professor careca de português. Gabava tanto a minha criatividade que passei a acreditar fortemente que tinha um talento. Escrevi uma peça de teatro representada diante da escola pela turma, subi ao palco com um ramo de flores. Os testes psicotécnicos sugeriram uma profissão ligada às humanidades. Nasceu um desejo na minha vida: ser escritora. E dizia a toda a gente. Sem vergonha, com os olhos brilhantes. Escrevi várias vezes esse sonho em todos os blogues que tive (desde 2006). Nos meus diários pessoais. Entre amigos, família. Queria ser escritora. Cheguei a participar em alguns concursos literários.

 

Cresci, infelizmente. A ingenuidade deu lugar à realidade. Conheci a literatura através dos russos e apaguei esse desejo porque não tenho nada para acrescentar. Não vou fazer a diferença. Quanto mais leio boa literatura mais tenho certeza que não passa de um sonho doido. O talento tem outro nome. Nomes gigantes. E para fazer igual ao que continuo a criticar prefiro manter-me afastada enquanto "o músculo da escrita" não é forte o suficiente. Nunca será, nunca terei a habilidade dos mestres. No entanto, o mercado parece ter espaço para todos. Um mercado que achava limitado ao talento, acabou por estender-se às estrelas, youtubers, actrizes cozinheiras, apresentadoras fit, apresentadoras românticas, etc...Não é com desdém que digo isto, só quero dizer que se calhar não é impossível editar um livro no mundo moderno. Ou auto publicar. Leio livros que são considerados os preferidos de muitas pessoas e repenso, consigo escrever um bocadinho melhor. Afinal uma das super dicas dos escritores é: leia muito. Eu leio muito, posso escrever um livro? Não creio. No entanto não me imagino a desligar a luz dos meus sonhos enquanto baixo os olhos e digo: esquece. O amor pode ser a (minha) única motivação (e a quantidade enorme de pessoas no mundo também) e a realidade o meu maior obstáculo.

 

No fundo, sempre escrevi melhor no escuro e a minha vida agora tem muita luz. As palavras não escorrem imparáveis, nem o meu olhar tem distância suficiente para alcançar o absurdo de tudo isto.

 

Deixo algumas sugestões para aspirantes a escritores,

 

"Poquê Ler os Clássicos?", Italo Calvino

"A Arte de Escrever", Arthur Schopenhauer

"Cartas a Um Jovem Poeta", Rainer Maria Rilke

"Para Ler como Um Escritor", Francine Prose

Qualquer livro do Bukowski

NÃO VOU SUGERIR A BÍBLIA (MAS PODIA PORQUE JÁ LI)

 

 

Com a chegada do Papa a Portugal resolvi fazer um vídeo com sugestões literárias onde é abordada a religião. São abordagens muito diferente umas das outras. Desde pais religiosos e doentes ao extremismo do autoproclamado Estado Islâmico. Não deixem de assistir e dar a vossa opinião. Se tiverem alguma sugestão partilhem. 

 

Livros sugeridos

- "A Cor do Hibisco", de Chimamanda Ngozi Adichie

- "Confissões de Inverno", de  Bredan Kiely

- "A Célula Adormecida", de Nuno Nepomuceno

- "Carrie", de Stephen King

- "A Papisa Joana", de Donna Woolkfolk Cross

- "Silêncio", de Shusaku Endo

Sugestão | Dois contos e um livro para ler este Natal

 

Um Presente Inesperado, Carina Rosa

 

Autora portuguesa. Podem ter acesso ao conto gratuitamente AQUI. É um conto curtinho e muito fofo. Gostei, achei amoroso. Ideal para esta época. 

3*

Canção de Natal, Charles Dickens

 

Aquele conto obrigatório e especial. Dois anos seguidos a ler o conto nesta época. Confesso que gostei mais da releitura. Uma história emotiva com uma mensagem importante. 

3.5*

 

Cão Como Nós, Manuel Alegre

 

Ok, não se passa no Natal, mas tem uma história muito bonita. Fala de um cão com mau feitio, com atitudes muito engraçadas. São contadas várias situações desde o momento que ele chega a casa daquela família. Quem tem animais, ou gosta de animais, vai gostar muito. Eu fiquei a admirar e a entender melhor a ligação entre os cães e os seus donos. Lê-se em menos de uma hora e vale muito a pena. 

3.5*

 

leitora beta * divulgação * literatura *

contacta-me para mais informações contactoclaudiaoliveira@gmail.com

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D