Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

Qua | 07.11.18

ESCÓCIA | Como Ser uma e Outra, Ali Smith

Cláudia Oliveira

IMG_20181102_101548_159_2.jpg

 

 

Comprar livro

Editora Elsinore

Lançamento Outubro 2017

 

 

Andava para ler esta autora há muito tempo. Hoje pergunto-me porque demorei tanto. Com três livros na estante, foi preciso começar o projeto Do Quarto para o Mundo para pegar num livro de Ali Smith. Que surpresa fantástica!

 

Este livro tem duas histórias distintas. Adorei a primeira, mas senti-me perdida na segunda. Acho que estava demasiado agarrada à história da George para começar outra. A George perdeu a sua mãe, vive com o pai e o irmão. Visitamos a sua memória, com diálogos formidáveis entre ela e a mãe. Passamos a sentir a ausência e as saudades da George. Entre desentendimentos, revelações e muita empatia, a realidade com que Ali Smith dispõe a história das duas é impressionante. Na segunda parte, não gostei tanto (nem entendi perfeitamente) a história de uma rapariga, o alter ego de um pintor muito famoso. No entanto, valeu toda a experiência. Uma história, completa a outra. 

 

"A arte e o amor são uma questão de boas abertas em cinábrio, de preto e vermelho transformados em veludo por persistente moagem, de entendimento de cores que beneficiam da suave fricção entre si: o mínimo que a prática fará é tornar engenhoso quem a ela se dedique..."

 

Diz que Ali Smith é herdeira da voz literária de Vírginia Woolf. Eu senti nunces da fantástica Vírginia na narrativa da Ali Smith. Como gosto muito da primeira, fique contente com essa caracteristica. Acho que estou perante uma escritora igualmente inovadora e com um mundo vasto por explorar. 

 

Escócia ficou bastante bem representada com esta escritora. Pretendo ler seguramente os outros livros que estão cá em casa. Recomendo, um livro com diálogos fantásticos, de uma enorme profundidade na forma como aborda as relações. 

 

Faltam 188 países 188 escritoras para concluir este projecto. 

 

Três palavras para este livro:

- Mãe

- Arte

- Memórias

 

Seg | 05.11.18

CROÁCIA | Raposa, Dubravka Ugresic

Cláudia Oliveira

IMG_20181102_101511_550_2.jpg

 

 

Comprar livro

Editora Cavalo de Ferro

Lançamento Setembro 2018

 

Dubravka Ugresiv nasceu na Croácia. Atualmente dá aulas em várias universalidades nos Estados Unidos e na Europa. É considerada uma das mais importantes escritoras da atualidade. Foi vencedora de vários prémios literários, incluindo o prémio Heinrich Mann para ensaio e o prémio Pen 2006, bem como finalista dos prémios Femina e Man Booker Internacional. Em 2016, a sua obra foi distinguida com o prestigiado prémio Neustadt de Literatura. 

 

 Não dá para resumir este livro. Nem esperar que ele tenha uma construção vulgar ou um clímax. É um livro fragmentado, sem uma linha condutora. Como um novelo de vários fios de diversas texturas. E são exatamente estes os meus livros preferidos. Absorvem a nossa mente, entregam passagens excepcionais atrás de passagens excepcionais. 

 

A sinopse entrega pouco do que este livro tem para oferecer. Temos o escritor Boris Pilnyak que descobre a autobiografia de Sophia Vasilyevna, que se apaixonou por um oficial japonês e alterou toda a sua vida em prol dessa paixão. Boris fascinado com a história dos dois decide escrever um romance. Dando lugar a algumas dúvidas, o que é real ou ficção?

 

Conforme o livro avança vamos ser levados até à Rússia e ao Japão. Preparem-se para várias referencias que dificultam o entendimento absoluto desta história. Mas não se importem muito. É narrado com mestria, escrita absolutamente inteligente e certeira. O título também foi escolhido com um propósito, a raposa é um elemento representativo bastante mencionado.

 

"Tanto na imaginação coletiva ocidental, como na oriental, a raposa é, invariavelmente, uma malandra, uma trapaceira, mas, além disso,é também tratada como um demónio, uma bruxa, uma «noiva maléfica» ou - como acontece na mitlogia chinesa -a forma animal da alma de um falecido."

 

A literatura é a rainha neste livro, cujo a vida moderna é um dos assuntos mais dissecados pela autora. Muitas reflexões, panos para mangas. 

 

"O mais recente conjunto de metáforas para a vida está alinhado com a tecnologia digital (Não era eu, era o meu avatar! A vida dele está reduzida a um tweet), e o digital poderá, um dia, ultrapassar o literário. "

 

"As nossas relações com outras pessoas são tóxicas, o nosso ambiente é tóxico, os alimentos que comemos são tóxicos. Eis a palavra-chave dos nossos tempos: tóxicos."

 

E a mulher é outro assunto. Onde senti representada a minha posição em relação ao mundo e ao retrado que a literatura faz de nós. 

 

"As raparigas são retratadas como «jovens senhoras» e «princesas» aborrecidas, «modelos» adolescentes, «compradoras», minimulheres que falam de forma insegura, tal como farão quando crescerem , se vierem a crescer. São pequenos clones femininos com cabeças grandes (com um abundante cabelo ondulado); passeia-se, cambaleantes, em sapatos de salto alto, muito alto e «clicam» nos seus smartphones, preferem tais aparelhos às tradicionais varinhas de condão."

 

 

Foi o melhor livro que li para este projeto, e também o mais exigente. Recomendo para leitores que gostam de filosofia, referências político sociais e livros exigentes.

 

Faltam 189 países 189 escritoras para concluir este projecto. 

 

Três palavras para este livro:

- Literatura

- Política 

- Crítica Social

 

Para ver a lista completa dos livros para o projecto Do Quarto para o Mundo clica AQUI

 

Sex | 02.11.18

Objetivos para 2019 - blog e instagram | Especial Desenvolvimento Pessoal e Organização

Cláudia Oliveira

IMG_20181102_112046_040.jpg

 

Os objetivos desta lista são somente sobre a minha atividade no blog e instagram, algo que pretendo realizar em 2019.

 

Uma coisa de cada vez, sem pressões e ao meu ritmo. São expectativas que acredito serem fáceis de realizar. Diminuí alguns aspectos para concretizar outros. Não pretendo andar a correr no próximo ano, nem estar com as costas pesadas. Pelo contrário, quero cada vez mais a leveza e sentir prazer em cada tarefa. Escrever com dedicação, estar presente e sobretudo, quero ter a mente descansada. Sem o sentimento de "não estou a conseguir". Sempre consciente que o próximo ano terá dias assim. 

 

Quero focar muito na poupança de tempo e dinheiro. E no que me deu muito prazer fazer este ano. Sem grandes malabarismos. Comentem, digam-me o que acharam da lista, se acham possível uma pessoa concretizar tudo. Brevemente, trago um post sobre alguns objetivos pessoais e indicações de livros sobre desenvolvimento pessoal. 

 

Ler dois livros por mês

 

Não comprar livros durante o ano de 2019

Só pretendo comprar na feira do livro se tiver um bom ritmo de leitura nessa altura. No máximo, cinco livros com desconto. Quero poupar ao máximo e ler tudo o que tenho em casa. É a primeira vez que faço isto.  

 

Manter os Clubes Literários

Continuar com o Net Book Club e Clube dos Clássicos Vivos .

Escrever

No segundo semestre. Avançar com o meu livro com mais experiências para partilhar e Contos (quase) de Verdade.

Criar uma rotina equilibrada
Realizar o Milagre da Manhã | #6amclub durante trinta dias, com um grupo porreiro antes de regressar ao trabalho, de forma a criar uma rotina matinal equilibrada.

Projetos Literários

Quarta edição de Ler os Nossos e Ler Saramago em Novembro e (talvez) o regresso do LEDA.

 

 

Podes ler mais sobre o Especial Desenvolvimento Pessoal e Organização AQUI

Qui | 01.11.18

Como preparar os objetivos para 2019 | Especial Desenvolvimento Pessoal e Organização

Cláudia Oliveira

IMG_20181101_114147_601 (1).jpg

 

 
Como preparar o ano seguinte? Com tempo, sobretudo com tempo e noção dos nossos limites. É mais eficaz quando te dedicas a planear bem o que pretendes fazer no ano seguinte.
 
 
Encontrei ao longo dos anos muitas técnicas que me facilitaram em atingir as minhas metas. A concretizar em vez de me lamentar com falta de tempo.  Serviu para eu focar e levar até ao fim as tarefas a que me propunha. Quando me perguntam, como é que consigo fazer tantas coisas, eu sei que parte se deve à minha determinação, mas outra parte é à minha organização. Com o tempo, criei hábitos de uma pessoa organizada. Com o tempo, também consegues. Tens é de começar. 
 
 
A proposta de hoje é partilhar quatro pequenos passos para preparar o ano seguinte. São tarefas simples que qualquer pessoa pode fazer. São os passos que eu uso e funcionam comigo. Não deixes de planear os teus objetivos, se queres focar a tua mente em atingir os resultados. 
 
 
Anotar tudo!
 
Existem inúmeras opções. Agenda, bullet journal, Evernote, caderno simples, etc...  Tens realmente de passar tudo para algum lugar. Seja em papel ou no computador. Sempre me dei bem com bullet journal, mas no próximo ano optei por uma agenda. Com as características necessárias para concretizar os meus objetivos. Ajusta à tua realidade e escolhe a melhor opção para ti. Precisar realmente de anotar tudo e ter por perto esse registo. 
 
 
Traça objetivos anuais, metas mensais e semanais, tarefas diárias
 
Traça objetivos para 2019 que sejam realizáveis. Com o decorrer do ano, define metas para cada mês. Para as semanas, escolhe uma ou duas metas. E todos os dias traça três tarefas. É importante definir vários objetivos e separar por meses, semanas e dias. Quando fazes apenas a lista anual, ao longo do ano acaba por se perder e o foco desaparece. É bom que essa lista geral do ano esteja num lugar para consultares facilmente. Eu tenho sempre junto do meu bullet journal ou agenda. 
 
 
Escolhe a palavra do ano
 
Essa palavra irá representar o teu ano, irá ajudar-te a manter um caminho e foco ao longo de 365 dias.  Podem ler AQUI como fiz para 2018. Já tenho a palavra de 2019 escolhida, irei partilhar convosco no inicio de janeiro.  
 
 
Tira uma ou duas semanas para refletir
 
É importante deixar de lado as influências e perceber quais são as tuas necessidades. O que faltou em 2018. Escreve tudo o que te vier à cabeça e começa a definir o que esperas de 2019. É muito importante tirares algum tempo para estares conetado contigo. Precisas de escutar o teu coração, fazer uma profunda reflexão do que precisas melhorar ou mudar. Com o ruído das redes sociais não é possível. 
 
 

Pág. 3/3