Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

Dom | 22.07.18

MINDHUNTER - CAÇADOR DE MENTES | JOHN DOUGLAS/ MARK OLSHAKER

Cláudia Oliveira

IMG_20180722_114526.jpg

 

Data: Julho, 2018

Editorial Presença

Tenho de começar com esta passagem. 

 

"Perguntam-nos por que razão é o crime real tão empolgante para os leitores espectadores... Cremos que a reposta é que, pela sua própria natureza, o crime real lida com a essência e com os fundamentos daquilo a que de forma arrogante chamamos <a condição humana>. Ou seja, os instintos e as emoções que todos sentimos: amor, ódio, ciúme, vingança, ambição, lascívia, alegria e tristeza, terror, desilusão, desespero e sentimentos de grandiosidade e de legitimidade pessoal... em muitos casos acompanhados de medidas iguais de desajustamento profundo e de autoaversão."

 

Gosto cada vez mais de ver e ler sobre crimes reais. Costumo assistir a alguns canais no YouTube com relatados de crimes e sempre tive curiosidade sobre toda a história envolvente. O que aconteceu para o homem se transformar num monstro? Será que nascem assim? Será que todos passaram por um trauma na infância? Interessa-me sobretudo a psicologia da mente criminosa. 

 

Quando o livro "MIndhunter - Caçador de Mentes" chegou às minhas mãos fiquei em pulgas para pegar nele. Tinha assistido à série na Netflix baseada no livro, no inicio do ano, e adorado. Tinha visto opiniões no Youtube estrangeiro relacionadas com o livro e não podia ter ficado mais feliz por ver que a Editoral Presença tinha lançado a obra em Portugal. Acabadinho de ser editado, a edição está impecável e vale cada página. 

 

Quando John Douglas quis trabalhar a mente humana dos criminosos, de forma a estruturar uma analise detalhada e conseguir apanhar os assassinos antes de expandirem o terror, não teve o trabalho facilitado. O FBI não acreditava que a psicologia estava relacionada ou que podia ser traçado um perfil antes de apanharem o criminoso.  John Douglas revolucionou a investigação ao desenvolver métodos para saber como funcionava a mente dos serial killers. Começou a trabalhar na década de 70, antes de existir o termo "serial killer". Ele estudou diversos casos e investigou vários assassinos e torturadores. Esteve na prisão de frente com os mais temidos criminosos de forma aprofundar os seus conhecimentos e descobrir pormenores importantes para acrescentar à sua analise. Foi um homem muito importante na formação de vários agentes e na melhoria das investigações. Muitos casos foram solucionados devido à sua inteligência e perspicácia. 

 

Neste livro conhecemos a vida do John Douglas, informações sobre a sua vida pessoal. Casar com um agente do FBI, ausente de casa a maioria das vezes, com a mente sempre a fervilhar, não é de todo fácil. Percebemos isso ao longo dos capítulos, ele não tinha praticamente vida pessoal. Estava demasiado envolvido com o seu trabalho. 

 

OS casos relatados neste livro são imensos. Tem histórias macabras de fazer arrepiar qualquer leitor. É imaginável a forma doentia com funcionava a mente destes assassinos. Mas Douglas sabia como fazer cada um deles escorregar nas próprias palavras, entendia cada detalhe e acabava por ter bastante sucesso na resolução dos crimes.

 

O que mais me impressionou foram os padrões, os traumas de infância, a forma como os serial killers se relacionavam com a mãe. Cresciam em ambientes poucos hostis, com famílias disfuncionais. Na adolescência, através do comportamentos das suas mães, acreditavam não eram dignos de relações amorosas com outras mulheres por serem feios, rudes ou gordos. Douglas defende que estes homens não nascem monstros, considera que desenvolveram esse ódio contra as mulheres devido a traumas ocorridos na infância. Mas este é apenas um detalhe no meio de outras características desenvolvidas no livro. 

 

Optei por não focar esta opinião em nenhum caso em particular, mas os maiores crimes da história são relatados ao detalhe neste livro. Desde Kemper, Brudos, estrupador Ted Bundy, maníaco Charles Manson, assassino de crianças negras Wayne, Rissell que ficou conhecido por começar a matar aos 14 anos são uma pequena parte do que vão encontrar. Cuidado, contém descrições muito fortes e macabras. 

 

"Aquilo que tento fazer com um caso é recolher todos os indícios com que tenho de trabalhar - os relatórios do caso, as fotografias e as descrições do local do crime, os depoimentos das vítimas ou os protocolos da autópsia - e pôr-me mental e emocionalmente na cabeça do criminoso."

 

Uma mão cheia de psicologia, explicações e detalhes interessantíssimos. Este livro é excepcional, acrescenta conhecimento e deixa um fascínio pela mente humana em qualquer leitor. Um dos meus preferidos deste ano, super completo, instigante e com uma narrativa que nos prende do inicio ao fim. Super recomendo. 

 

Podem comprar AQUI

 

goodreads twitter instagram facebook

Sex | 20.07.18

TAG | 7 PROVÉRBIOS 7 LIVROS

Cláudia Oliveira

 Hoje venho responder à TAG original criada pela mar no seu blog. Ela pegou em sete provérbios portugueses e levantou sete questões relacionadas com livros. Deu que pensar. Vejam se conhecem todos os provérbios e quais as respostas que davam (deixem nos comentários ou façam no nosso blog).  

 

1 - A pensar morreu um burro.

Um livro que enrolou, enrolou, enrolou e parecia nunca mais chegar ao fim.

 

 

"Escrito na Água", da autora Paula Hawkins. Que livro tão doido e chato. Muitas personagens, muitos pontos de vista e o final foi pouco surpreendente.

 

2 - Mais vale tarde que nunca.

Um livro de que não estavas a gostar muito, mas depois *puff fez-se luz* teve um final muito bom.

 

"Os Loucos da Rua Mazur", João Pinto Coelho tem a tendência de deixar o melhor para o fim. Não é que tenha sido o melhor final de sempre, mas gostei bem mais do que o resto do livro. 

 

3 - Antes só que mal acompanhado.

Um livro único (stand-alone) espetacular.

 

"O Meu Ano Màgico" da Nina Sankovitch. De forma a passar pelo luto da morte da sua irmã, Nina resolve colocar um desafio a si mesma, ler um livro por dia durante um ano e escrever a opinião do mesmo no seu blog. Adoro. Os livros são remédios para a alma. O livro está esgotado na Wook, mas podem comprar o ebook e começar a ler agora mesmo. 

 

4 - A galinha do vizinho é sempre melhor que a minha.

Um livro muitas vezes comparado a livros ou sagas populares, mas que ficou um pouco abaixo das expectativas

 

 

"Café Amargo", Simonetta Agnello Horbny. O livro é bom, mas foi comparado à série da Elena Ferrante. Nada a ver. Fiquei um bocado desiludida em relação a isso, mas até gostei do romance. 

 

5 - Para bom entendedor meia palavra basta. 

Um livro curto, mas bom.

 

 

"Leite e Mel", da Rupi Kaur. Que livro, amo cada pedaço dele.  Chorei, abracei-o e nunca o esqueci. 

 

6 -Todos os caminhos vão dar a Roma.

Um livrou e/ou universo literário para o qual gostavas de viajar.

 

Levem-me para Itália para pisar os mesmos lugares que Lila e Elena conheceram. 

 

7 - Quem te avisa teu amigo é.

Recomenda três livros.

 

 

 

 

 

 

 

 

Ora bem:

"O Lobo de Wall Street", Jordan Belford

Uma biografia espetacular, muito bem escrita. Aproveitem e vejam o filme também. 

"História de um Canalha", Julia Navarro

Devorei este livro. Gosto muito da escrita da autora espanhola. 

"Livrarias", de Jorge Carrión 

Aquele livro para ler e reler. 

Qui | 19.07.18

5 CONTAS NO INSTAGRAM PARA MÃES (E NÃO SÓ) SEGUIREM

Cláudia Oliveira

InShot_20180719_120948318.jpg

 

Não escondo de ninguém a minha paixão pelo instagram. Passo algum tempinho generoso a ver stories e a ver fotos. Gosto, o que posso fazer? Não há rede social mais apelativa e interactiva. Lembrei-me que podia partilhar cinco contas para mães ou futuras mães seguirem.

 

São pessoas com as quais me identifico de alguma forma e não perco nenhum storie. Mas claro, estas contas podem ser seguidas por qualquer pessoa, nem sempre o assunto é maternidade. As mulheres não se limitam à maternidade, não é verdade? No fundo são mulheres com problemas e dúvidas reais, cheias de dicas e bom conteúdo. E sem muita publicidade, nos tempos que correm é muito louvável. 

 

As preferidas das preferidas são:

 

Joana Costa Roque | @joanacostaroque

Ela tem vários livros de receitas editados (não vejo a hora de os comprar), tem um blog cheio de receitas chamado As Minhas Receitas e partilha imensos truques e dicas. Adoro quando ela faz o menu semanal e nos mostra como organiza as refeições ao longo da semana. Tem 39 anos, é mãe de três e vive em Coimbra (cidade linda!). Neste momento de 11k seguidores, mas não deixa de responder às nossas perguntas e é sempre muito simpática. Obrigada à Ana Isabel pela sugestão.

 

Birras em Direto | birras.em.direto

A Marta Rodrigues é mãe de um menino e está grávida de um casal de gémeos, a Diana e o Diego. É jornalista e blogger. Faz alguns vídeos, escreve uns textos muito giros e tem apenas 4374 seguidores (acredito que irá crescer muito). É muito bonita e inteligente. Encara a gravidez com dúvidas naturais, mostrando humildade na sua sabedoria. Gosto muito. 

 

Aline Albino | byalinealbino

A brasileira mora em Los Angeles e e fantástica na arte de fazer lettering. Tem fotos e vídeos maravilhosos sobre os seus bullet journal. Neste momento está à espera do seu primeiro bebé e é um doce de pessoa para além de muito criativa e genuína. Não perco os seus vídeos e tem giro seguir as suas dicas. Conta com mais de 73,7K seguidores.

 

Três antes dos Trinta | tresantesdostrinta

A Ana Sousa Amorim tem 30 anos, é mãe de um menino e de um casal de gémeos. Tem apenas 1325 seguidores, mas devia ter mais. O seu blog tem o mesmo nome, escreve de forma muito sincera e irónica. Coisa que eu eu admiro na escrita das bloggers. 

 

Pri Leite | prileiteyoga

A Pri é professora de Yoga, vive em Los Angeles, é brasileira e um amor de pessoa. Já fiz algumas aulas dela através do youtube, e agora vou começar a fazer as aulas para gestantes. Ouvir o seu relato de parto foi incrível e muito emocionante (há vídeo no canal dela) e ver os seus stories traz sempre aquela calma e aprendizagem. Ela toca em assuntos com as quais me identifico e não perco nada. 

 

Se tiverem alguma conta no Instagram para recomendar não se esqueçam de me contar! Espero que gostem.

Ter | 17.07.18

PROJETO ORGANIZE A SUA CASA | 52 SEMANAS

Cláudia Oliveira

IMG_20180717_075651_771.jpg

 

 

 Quando a vida muda, mudamos com ela

 

"Uma casa é um espaço vivo em constante mudança, que cresce e se desenvolve à medida que as pessoas que o habitam fazem o mesmo"

 

A vida muda, assim como os objetivos de vida. Acredito que as mudanças trazem aprendizagem e experiência. Para alguém, como eu, que adora planear e organizar, nos primeiros tempos fica um bocadinho perdida, mas tudo se encaixa. O que estava a ser adiado passa a ser prioridade, o que era prioridade acaba por perder a sua força.

 

Alguma coisa tem de ficar pelo caminho, temos de escolher o essencial para os próximos tempos. E foi exatamente isso que eu fiz. Pausa no canal do YouTube com o qual já não me identificava, nem me entusiasmava mais. Sigo dois canais em Portugal e cinco no Brasil. O que significa que tenho mais tempo livre para fazer o que me motiva e deixa feliz. A partilha no Instagram deixa-me totalmente satisfeita porque o público é maior e o feedback mais real e dinâmico. Não sinto saudades nenhumas do YouTube, sorry. Sempre disse que seria o Instagram a rede social com mais força nos próximos tempos, é notório. Desta forma, dei a possibilidade de voltar à escrita, e estou a escrever um livro sobre maternidade. Um trabalho diário e muito gratificante. 

 

Sempre fui organizada, mas estou a precisar que seja algo mais consistente e enraizado. Sem ser uma obsessão. Quero aprender novos truques e ver o que se encaixa com o meu novo estilo de vida. É um tema que gosto imenso e estou sempre a procurar ler mais sobre o assunto. Quem me segue há algum tempo sabe que ando sempre a criar projetos e desafios, gosto de trazer conteúdo novo e não ficar presa ao mesmo de sempre. Acho que 2018 foi (ou está a ser) um dos anos mais criativos. Tive a possibilidade de trabalhar com profissionais, adquirir conhecimento e fazer novos contatos. 

 

O projeto Organize a Sua Casa

 

Quando recebi este livro, lancei a ideia do projeto no Instagram e algumas pessoas gostaram. Consiste em seguir o projeto da autora Paulina Draganja através do seu livro Organize a Sua Casa - Um projeto por semana. O projeto dura 52 semanas, ou seja, um ano. Podes comprar o livro AQUI e acompanhar regularmente no blog, ou simplesmente seguir o blog ou os stories no Instagram. Para isso, precisas de ter a aplicação Instagram e adicionar-me aos teus seguidores. A minha conta é @amulherqueamalivros.pt.

 

 

Cada semana tem um objetivo que nos dará algum trabalho, mas é isso mesmo. Sem trabalho não vamos a lado nenhum, não é verdade? A autora tem um blog  uma conta no Instagram que podes acompanhar e até imprimir as listas de tarefas (mas está em sueco). No entanto, farei os possiveis para manter-te informada das tarefas antecipadamente. Podes começar este desafio no inicio do ano, quando decidires criar a típica lista de objetivos. Mas eu não quis esperar. 

 

 

Criar e manter uma organização

" É verdade que a arrumação certa é importante, Mas há dois outros fatores que são necessários para criar um sistema duravel: a estrutura certa e as rotinas certas"

 

Estou de facto entusiasmada com o projeto que me parece super simples e eficaz. Alguns hábitos precisam de mudar, é preciso ter isso em conta, porque sem mudanças não conseguimos adquirir novos hábitos. É como largar um vicio pouco saudável, passar a ir regularmente ao ginásio ou comer de forma saudável. E outro aspeto bastante importante é a rotina. Eu ainda me estou a adaptar à nova rotina (farei um post sobre a minha nova rotina matinal e noturna brevemente), mas sei que aprendi bastante com o desafio #6amclub (ainda se lembram dele? foi uma experiência enriquecedora, recomendo a todos). 

 

Sugiro que reflitas se realmente precisas deste projeto. Se a rotina está implementada e te sentes capaz de transformar a tua vida em algo mais organizado. E sem desculpas, "não tenho tempo". A organização e a rotina trazem tempo de qualidade. E ainda, poupança. Não acreditas? Experimenta!

 

"É bom ter rotinas. São uma forma de cuidarmos de nós próprios. Se sofrermos de stress, é bom ter uma rotina para descansar. Há coisas na vida que não conseguimos se não decidirmos a consegui-las." Demasiado cliché? Quando me perguntam como consigo ser tão organizada não consigo responder de imediato. Foi um processo, um caminho que acabou por se tornar algo muito natural que fica difícil de responder. Acredito que toda a gente consegue. Porque eu não era assim, aprendi a ser. Também tenho os meus momentos de preguiça, mas sei que só atinjo objetivos se não me permitir ser preguiçosa a maior parte do tempo. Eu gosto de desafios.

 

Vamos ao desafio da primeira semana?

 

Semana 1 | Escrever a lista de prioridades

- 17 a 24 de Julho

 

O livro da Paulina será como um guia, tem várias ferramentas que podemos usufruir de acordo com a nossa realidade. Cada casa tem as suas necessidades especificas. Ela sugere que o primeiro passo seja escrever a lista de prioridades. No livro existe um espaço para escrever uma lista das prioridades mas podes anotar tudo num caderno (ou no teu blog/instagram). Toma nota das dificuldades e do que te incomoda na tua casa. Pode ser qualquer coisa, desde uma gaveta desarrumada à desordem na garagem. Escreve tudo o que vier à cabeça. 

 

Alguns exemplos:

- trocar os quartos dos membros da família

- encontrar um sistema prático para a reciclagem

- tornar o espaço mais amplo

- fazer um pequeno jardim doméstico

- ter as especiarias todas organizadas

 

 Cuidado para não criares projetos demasiado longos - o prazo tem de ter uma semana. Organizar a cozinha pode ser algum muito grande, o melhor é dividir por pequenos projetos. Um ano para fazer tudo o que estiver na nossa lista de prioridades. 

 

Parece fácil. Temos uma semana para definir as nossas prioridades e começar a preparar a mente para o que vem a seguir. Começa hoje e vai até à próxima terça. Brevemente falo mais sobre o desafio da semana 2 nos stories. Em baixo deixo a foto com os desafios até à semana 16, para quem quiser passar para o papel. Já podem deitar o olho aos próximos desafios e decidir se querem participar. 

 

Não se esqueçam de usar a hashtag #organizeasuacasa de forma a vos encontrar nas redes sociais. Entretanto, vou ver se faço a minha lista de prioridades também. Se tiverem alguma dúvida é só deixar comentário ou enviar mensagem. Boa organização, estamos juntas!

 

IMG_20180717_080237_HDR.jpg

 

 

Seg | 16.07.18

AS TRÊS VIDAS | JOÃO TORDO

Cláudia Oliveira

 

 

IMG_20180716_115903_HDR.jpg

 

Editora Companhia das Letras

Data Maio 2018

Sinopse

 

História de amor, saga familiar, mistério policial, retrato de um mundo que ameaça resvalar da corda bamba, Três Vidas é um dos mais importantes romances de João Tordo, tendo-lhe valido o Prémio Literário José Saramago.


António Augusto Milhouse Pascal vive longe do mundo, num velho casarão alentejano, com os três netos pouco dados a regras e um jardineiro taciturno. O isolamento é quebrado pelas visitas de clientes abastados que procuram ajuda do velho patriarca, em tempos um importante espião e contra-espião, testemunha activa das grandes guerras do século XX. O nosso narrador - um lisboeta de origens modestas - entra na história quando Milhouse Pascal o contrata como arquivista dos segredos que envolvem os seus clientes. Não poderia adivinhar o rapaz, ao aceitar o trabalho, que este acabaria por consumir a sua própria vida. A partir do momento em que se apaixona por Camila, neta do patrão com sonhos de ser funambulista, que desaparece após uma viagem a Nova Iorque, o destino do narrador enreda-se irreversivelmente nos mistérios da família, partindo a sua existência em três.

 

Opinião

Cada livro que leio do João Tordo é uma surpresa. Teve a capacidade de reinventar-se, experimentar e arriscar. Sendo esta uma história de amor, uma saga familiar, um mistério policial acabou por trilhar por diversos caminhos, portanto temos a sua obra mais completa a nível criativo. Um novelo que precisa de ser desenrolado pelo leitor até ao fim, envolto em mistério e peripécias entre várias cidades (Lisboa, Alentejo, Nova Iorque). 

 

Apesar de mais uma vez nos presentear com histórias onde os homens são os protagonistas, a menina Camila é quem mais brilha neste enredo. A grande paixão do nosso narrador. Um homem com raízes humildes que aceita trabalhar para um homem excêntrico de forma a ajudar a família com as despesas. Foi sem dúvida a Camila que mais me cativou, ela e a sua forma de olhar a vida e amar a liberdade. Mas todas as personagens são interessantes, têm alguma peculiaridade que as torna próximas e profundas.

 

Senti o tom deste romance menos melancólico, menos dramático. Talvez seja o livro ideal para conhecer o trabalho de João Tordo, apesar do meu preferido continuar a ser O Luto de Elias Gro (preciso de ler os seguintes da trilogia). É notável a mudança do escritor, desde o Prémio José Saramago em 2009. 

 

É um livro grande, que se lê muito bem. Somos levados para dentro das cenas, fazemos as mais diversas teorias sobre o misterioso António Pascal, o patrão do narrador. Conhecemos os seus três netos, um trio divertido e pouco vulgar. Torcemos pelo protagonista, procuramos respostas encontramos mais perguntas. As cenas marcadas pela arte do funambulismo são muito sedutoras, dão um toque mágico a todo o enredo. Consegui imaginar perfeitamente aqueles momentos, acho que são as minhas preferidas. 

 

Não foi um livro transformador ou marcante. Foi uma leitura sem efeitos e divertida. Talvez um bocadinho extensa sem necessidade, mas agradável no seu todo. Recomendo sempre João Tordo.