Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

Sab | 03.03.18

NOVIDADE | AS CIENTISTAS | RACHEL IGNOTOFSKY

Cláudia Oliveira

AS CIENTISTAS.jpg

 

Adoro estes livros com destaque para as mulheres. É só um dos meus temas preferidos dentro da literatura. Boas protagonistas, boas escritoras e muito #girlpower. A edição deve ser linda e super interessante. Parabéns à Bertrand pela aposta. Sai dia 9 deste mês. 

 

SINOPSE

 

Recheado de ilustrações divertidas e informativas, As Cientistas destaca e dá visibilidade às contribuições de 52 mulheres notáveis nos campos da Ciências, Tecnologias, Engenharia e Matemática (CTEM), desde a Antiguidade até ao presente. Se Marie Curie é hoje sobejamente reconhecida, muitas outras pioneiras e mulheres extraordinárias nunca receberam o reconhecimento que mereciam na sua época e foram esquecidas. Perfiladas neste livro encontram-se figuras famosas, como a primatologista Jane Goodall, assim como pioneiras menos conhecidas, como é o caso de Katherine Johnson, a física e matemática norte-americana que, em 1969, calculou a trajetória da missão Apollo 11 à Lua, ou as portuguesas Elvira Fortunato, engenheira, investigadora e inventora, e Branca Edmée Marques, que estudou e trabalhou com Marie Curie. As Cientistas celebra os feitos de mulheres intrépidas, muitas delas quase invisíveis que, através da audácia e da persistência, desbravaram caminho para a próxima geração de engenheiras, biólogas, matemáticas, médicas, astronautas e físicas em áreas tradicionalmente dominadas pelos homens.

Esta edição conta com o apoio da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, que assina o prefácio.

Sex | 02.03.18

APOSTAS | OSCAR 2018

Cláudia Oliveira

InstaFit_20180302_13280445.jpg

 

 

Chegou aquela altura do ano de fazer as devidas apostas para o Oscar. A cerimonia acontece dia 4, é este domingo. Vi tudo o que queria ver e estou pronta para opinar com conhecimento de causa. Não sou critica de cinema, não sou expert, não desejo ser, mas gosto de fingir que sim. Como a maioria, não é verdade? De médico e critico todos temos um pouco. Não é assim, mas passa a ser.

 

Ao contrário da maioria não vou fazer aquele típico “acho que vai ganhar” vs “quero que ganhe”. Primeiro, uma pessoa sabe que aquele que provavelmente vai vencer é o mais famoso e/ou ganhou todos os prémios anteriores muito importantes. Posto isto, vou apenas dizer quem quero que ganhe e acho mais justo e vou torcer com os dedos das mãos e dos pés. Já sei que vou adormecer à espera, mas também sei que vou acordar durante a noite para espreitar os resultados. Vou ficar impaciente, como acontece todos os anos. Não sei se vou chorar, provavelmente. Chorei com a vitória do Leonardo DiCaprio, chorei com a vitória de Moonlight. Este ano se acontecer aquilo que eu desejo vou voltar a chorar. Certinho.

 

E o que eu quero que aconteça? Uma homenagem à Mulher. Depois do movimento contra o assédio, das lutas constantes, das humilhações permanentes acho que seria muito justo deixar o obvio de lado. Só desta vez. Permitir que seja a mulher a brilhar e dominar este evento conhecido pela popularidade mundial.

 

Ora, as minhas apostas.

Melhor filme | Lady Bird

Melhor realizador | Jordan Peele

Melhor animação | Coco

Melhor ator | Gary Oldman

Melhor ator secundário | Sam Rockwell

Melhor atriz | Margot Robbie / Frances McDormand

Melhor atriz secundária | Allison Janney

Melhor adaptação | Chama-me pelo Teu Nome

Melhor roteiro original | Três Cartazes à Beira da Estrada

 

 

Quais são as tuas apostas? Qual é o teu filme preferido? Conta-me tudo!

 goodreads twitter instagram facebook newsletter

Qui | 01.03.18

BULLET JOURNAL | MARÇO 2018

Cláudia Oliveira

 

 

 

Continuo com o mesmo sistema de organização, o bullet journal. Não troco por nada. Desta vez, como o caderno estava quase a terminar, troquei por outro bullet journal. Tive de passar a maior parte das informações de um para outro. No vídeo podem ver o sistema de organização de leituras, financeiro e os planos para o próximo mês. Gosto bastante da forma minimalista como está o meu plano semanal. Dou-me muito bem. Alguma dúvida é só deixar nos comentários. Digam-me, também vão participar no Março Feminino?

 

goodreads twitter instagram facebook newsletter

Qui | 01.03.18

CORRESPONDÊNCIAS | OPINIÃO E PASSATEMPO

Cláudia Oliveira

unnamed.jpg

 

 

Durante esta semana fui até ao Cinema Ideal para assistir ao filme Correspondências realizado por Rita Azevedo Gomes. O filme é baseado nas correspondências entre Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena durante 1957 e 1978, o período de exílio deste último. 

 

Dedicada ao meu projeto Ler Poesia, sobretudo pela poesia de Sophia de Mello Breyner, fui levada até ao cinema para visualizar este filme. Outro aspeto que me interessou bastante foi o facto de ser um filme realizado por uma mulher portuguesa. Não podia pedir mais. A sensibilidade está em todos os planos e escolha de poemas. Alguns já conhecia, foi interessante a ligação de imagens às palavras dos dois poetas. Existe um livro de correspondências (esgotado, da Guerra & Paz) onde foi baseado este filme. As cartas foram lidas e homenageadas em pequenos retalhos muito semelhantes à memória, imagens fugidias com alusão à solidão e falta de liberdade.

 

São duas horas e meia de amor às palavras. Escutadas por quem parava. São lidos poemas e cartas em várias línguas. Inglês, francês, italiano. A poesia é universal. A dado momento Sophia fala na força da poesia, na dificuldade em regressar ao seu país, na forma como a PIDE é muito organizada. Lamenta a inexistência dos apoios à educação. Formidável. O amor pela Grécia, na amizade com Agustina Bessa-Luís. Jorge de Sena tem um tom mais amargurado, abalado com a situação política vivida.

 

Correspondências foi apresentado em vários festivais de cinema internacionais e ganhou o Prémio Fundação Saramago e Livraria Lello para Melhor Filme Falado em Português, Galego ou Crioulo de Origem Portuguesa, Transversal às Competições no DocLisboa 2016 e o Prémio Melhor Realização no Caminhos do Cinema Português 2016


A correspondência entre Sophia e Jorge de Sena é um testemunho da forte e  profunda amizade entre estes dois poetas, mas é também marcada pelo sempre presente peso da censura e da situação política em Portugal naquela época. Estreia dia 8 de março, no dia da mulher, no Cinema Ideal, em Lisboa, no Cinema Trindade, no Porto, e no Alma Shopping, em Coimbra.

 

 

 

Sobre a realizadora Rita Azevedo Gomes

 

Nascida em Lisboa, em 1952, Rita Azevedo Gomes tem um percurso variado, ligado às artes visuais. Começou por estudar Belas Artes, ligando-se ao cinema a pouco e pouco. Esteve envolvida, ao longo dos anos, em inúmeros projectos em teatro, ópera, artes plásticas e cinema, tendo ainda desenvolvido, com grande reconhecimento, trabalhos gráficos em diversas edições de cinema da Cinemateca e da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 1990, realizou o seu primeiro filme: “O Som da Terra a Tremer”, após o qual escreveu e realizou várias curtas e longas metragens internacionalmente reconhecidas em festivais de todo o mundo. Actualmente está a terminar a sua longa-metragem "A Portuguesa" e trabalha na Cinemateca Portuguesa como programadora. 

 

 

Passatempo

 

Tenho dois bilhetes para vos oferecer. Esta sessão acontece no dia 13 de Março, no Cinema Ideal (Lisboa/Chiado) pelas 19 horas. Basta preencheres o formulário com os teus dados. Vou sortear no dia da mulher, dia 8 de março, parece-me uma linda forma de marcar este dia. 

 

 

 

Pág. 6/6