Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

Seg | 31.07.17

JULHO | RESUMO

Cláudia Oliveira

Munkee_0731134254.jpg

 

Li 12 livros

2 livros infantis

10 autores novos

6 mulheres, 6 homens

 

"Café Amargo", Simonetta Agnello Hornby

"Carta a um Filho", Rudyard Kipling

 "O Castelo de Vidro", Jeanette Walls

"Um Mundo de Pernas para o Ar", Elan Mastai

"Fábrica de Melancolias Suportáveis", Raquel Gaspar Silva

"Canção Doce", Leila Slimani

"Dias Úteis", Patricia Portela

"Os Segredos que Nunca Nos Contaram", Albert Espinosa

"Livrarias", Jorge Carrión

"As Oito Montanhas", Paolo Cognetti

"As Palavras", Ladybird

"Nossa Senhora de Paris", Victor Hugo

 

 

  

Vídeos: 

CONVERSA FIADA | JOGADOR DE FUTEBOL APANHADO A LER

ELENA FERRANTE l SOBRE OS LIVROS E ENTREVISTAS

DÉJÀ LU | UMA DAS LIVRARIAS MAIS BONITAS

DE 5 EM 5 + LEITURAS EM ANDAMENTO (32)

S7 E1 GUERRA DOS TRONOS | resumo e comentários

"CAFÉ AMARGO" | SIMONETTA AGNELLO HORNBY (texto + vídeo)

"O CASTELO DE VIDRO" | JEANNETTE WALLS (texto + vídeo)

"AS OITO MONTANHAS" | PAOLO COGNETTI (post + vídeo)

 

 

Livros comprados: 6

Livros preferidos do mês: "As Oito Montanhas", de Paolo Cognetti e "Livrarias", de Jorge Carrión.

 

Como correu a TBR?

TBR JULHO | FEELING BOM

Correu muito bem. Li tudo, só estou a terminar um da pilha. Já tenho mais ou menos preparada a TBR do próximo mês. Vem aí muitos calhamaços. Agosto costuma ser um mês muito agitado e de poucas leituras. Veremos. 

 

 

 

Janeiro | Resumo

Fevereiro | Resumo

Março | Resumo

Abril | Resumo

MAIO | RESUMO

JUNHO | RESUMO

Seg | 31.07.17

"DIAS ÚTEIS" | PATRÍCIA PORTELA

Cláudia Oliveira

IMG_20170721_134940.jpg

Há dois anos que ando para ler algo da Patrícia Portela. Foi desta. 

 

Recentemente lançado pela Caminho, "Dias Úteis" tem pouco mais de cem páginas. Numa edição linda levou-me a uma compra por impulso. E mais uma vez não errei. Pelo contrário, é maravilhoso. Assumo que tenho algum receio em recomendar este livro. Tem pouco de linear e tradicional. Precisamos de sair da zona de conforto e dar lugar a novas vozes na literatura portuguesa.

 

Antes de começar a semana, temos um conto espectacular sobre o dia do GRANDE jogo. O mundo pára para ver o grande jogo. A ironia é presente nas palavras inquietantes que nos representam. Uma linguagem recriada, estendida para a filosofia, várias metáforas e alegorias.  Dias que perdemos aqui e acolá, e assim se passa mais uma semana. 

 

Um livro para reler. Um livro que acrescenta, nos vira do avesso e nos deixa a pensar. Que mais queremos nós da literatura? Foi uma leitura intensa e curta. Sobre isto de ocupar os dias, (in)conformados. Um conto por cada dia da semana. 

 

"somos todos zombies, nem carne, nem peixe, nem vivos, nem mortos, e não há plano de contingência para tamanha catástrofe natural."

 

Recomendado. Vou ler certamente mais livros da autora.

 

(livro comprado com algum risco)

Seg | 31.07.17

"AS IMPERTINÊNCIAS DO CUPIDO" | ANA GIL CAMPOS

Cláudia Oliveira

 

Foi a capa que despertou o meu interesse por este livro. Uma coisa leva a outra, acabei a virar do avesso o blog da autora Ana Gil Campos e consequentemente o interesse aumentou. Este não é o seu primeiro romance, já editou outros dois, todos com títulos bastante sugestivos e capas bonitas. "As Impertinências do Cupido" foi lançado pela Coolbooks em junho. 

 

Episódios amorosos em tempos modernos. Num ambiente familiar, num bairro Itaim Bibi, em São Paulo, onde as personagens acabam por se cruzar. Certamente que reconhecemos um ou outro casal próximo ou sentimos alguma identificação com algum diálogo. Acabamos a sorrir com algumas histórias e incomodadas com outras.

 

Curto, conciso e escrito de forma leve como uma bebida fresca no verão à beira da piscina. A autora não dá espaço para o leitor mergulhar nas histórias nem criar uma ligação com as personagens. 13 histórias muito breves que se lê numa tarde de verão. 

 

Mulheres inseguras e decididas, homens ciumentos e namoradeiros. Encontros e desencontros. Mensagens e convites para jantar. Redes sociais pelo meio, escolhas erradas e desejos casuais. Pessoas um bocadinho loucas, talvez demasiado concentras no amor e nas paixões perdidas. Será o amor sobrestimado?

 

Gostei, mas não é memorável. 

 

(livro cedido pela autora)