Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


QUER ANUNCIAR O SEU LIVRO? contactoclaudiaoliveira@gmail.com


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


subscrever feeds



NOVAS PROPOSTAS LITERÁRIAS | SETEMBRO

por Cláudia Oliveira, em 13.09.17

 

 

"Doutor Finanças" já está na minha mesa de cabeceira e não vejo a hora de aprender mais uns truques financeiros. É o último lançamento da editora Matéria Prima. Dan Brown regressa com o calhamaço "Origem" numa edição de capa dura da Bertrand Editora. Vem a Portugal brevemente (podem ler a notícia AQUI). Vou estar presente para partilhar tudo com os leitores deste blogue e seguidores do canal YouTube "A Mulher que Ama Livros". Não percam! Javier Marías, um escritor que muito aprecio vai lançar mais um título pela Alfaguara. O conhecido autor do best seller "A Bibliotecária de Auschwitz", Antonio Iturbe, é o autor do recente romance "Céu Aberto". A Wook está a oferecer o seu grande sucesso na compra deste lançamento da Planeta (clica na imagem acima para aproveitares a campanha). O japonês Haruki Murakami foi novamente traduzido em Portugal, o seu mais recente livro chama-se  "Homens sem Mulheres". "A Estrada Subterrânea" tem uma sinopse mega interessante, para além disso foi vencedor do Prémio Pulitzer. Um prémio que normalmente não desilude.  

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Escrevo desde os oito. Escrevi três livrinhos. O diário do André (inspirado nos diários de Adrian Mole), a história da Inês e outro inacabado cujo o nome da protagonista não interessa. Pedi uma máquina de escrever com nove anos e ainda a guardo no quarto com carinho. Enquanto não descobri a literatura pensei ser uma possível escritora. Pensei ter qualidades, maturidade e noção de todas as características para um romance. Fui para a escola, sonhava através das composições com mundos imaginários muito elogiados pelo professor careca de português. Gabava tanto a minha criatividade que passei a acreditar fortemente que tinha um talento. Escrevi uma peça de teatro representada diante da escola pela turma, subi ao palco com um ramo de flores. Os testes psicotécnicos sugeriram uma profissão ligada às humanidades. Nasceu um desejo na minha vida: ser escritora. E dizia a toda a gente. Sem vergonha, com os olhos brilhantes. Escrevi várias vezes esse sonho em todos os blogues que tive (desde 2006). Nos meus diários pessoais. Entre amigos, família. Queria ser escritora. Cheguei a participar em alguns concursos literários.

 

Cresci, infelizmente. A ingenuidade deu lugar à realidade. Conheci a literatura através dos russos e apaguei esse desejo porque não tenho nada para acrescentar. Não vou fazer a diferença. Quanto mais leio boa literatura mais tenho certeza que não passa de um sonho doido. O talento tem outro nome. Nomes gigantes. E para fazer igual ao que continuo a criticar prefiro manter-me afastada enquanto "o músculo da escrita" não é forte o suficiente. Nunca será, nunca terei a habilidade dos mestres. No entanto, o mercado parece ter espaço para todos. Um mercado que achava limitado ao talento, acabou por estender-se às estrelas, youtubers, actrizes cozinheiras, apresentadoras fit, apresentadoras românticas, etc...Não é com desdém que digo isto, só quero dizer que se calhar não é impossível editar um livro no mundo moderno. Ou auto publicar. Leio livros que são considerados os preferidos de muitas pessoas e repenso, consigo escrever um bocadinho melhor. Afinal uma das super dicas dos escritores é: leia muito. Eu leio muito, posso escrever um livro? Não creio. No entanto não me imagino a desligar a luz dos meus sonhos enquanto baixo os olhos e digo: esquece. O amor pode ser a (minha) única motivação (e a quantidade enorme de pessoas no mundo também) e a realidade o meu maior obstáculo.

 

No fundo, sempre escrevi melhor no escuro e a minha vida agora tem muita luz. As palavras não escorrem imparáveis, nem o meu olhar tem distância suficiente para alcançar o absurdo de tudo isto.

 

Deixo algumas sugestões para aspirantes a escritores,

 

"Poquê Ler os Clássicos?", Italo Calvino

"A Arte de Escrever", Arthur Schopenhauer

"Cartas a Um Jovem Poeta", Rainer Maria Rilke

"Para Ler como Um Escritor", Francine Prose

Qualquer livro do Bukowski

Autoria e outros dados (tags, etc)

OS CLÁSSICOS ESTÃO VIVOS NA FEIRA DO LIVRO DE LISBOA

por Cláudia Oliveira, em 05.06.17

Munkee_0605125125.jpg

 

Ontem fui à Feira do Livro de Lisboa pela segunda vez este ano para o segundo encontro do Clube dos Clássicos Vivos. Aconteceu de manhã no jardim do Parque Eduardo VII depois de nos termos reunido no grupo Porto Editora. Agradeço a todos que acordaram cedo num domingo para falar de livros. Mais precisamente, no livro escolhido para estes meses, "A Boneca de Luxo", de Truman Capote.     

 

A discussão correu de forma positiva, foram debatidos vários temas dentro desta novela que eu própria desconhecia. Acabou por trazer outros pontos de vista e acrescentar mais profundidade ao livro. Confesso que não tinha ficado muito impressionada com o livro, mas acabei por ter vontade de dar outra oportunidade. As opiniões dividiram-se em relação a alguns aspectos, mas foi unânime em relação à experiência de leitura.  

 

No final tivemos um sorteio patrocinado pela editora Guerra & Paz. Foram sorteados três títulos clássicos da colecção que a editora tem vindo a editar com preços muito acessíveis. As capas fizeram muito sucesso e apesar de alguns membros já terem lido, a maioria ficou entusiasmada com o sorteio e os vencedores felizes por receberem os seus livros. Obrigada à editora! Também foram oferecidos lápis com a gravação do nome do clube. Queria dar uma lembrança diferente dos habituais marcadores. Talvez consiga ter mais surpresas nos próximos encontros. 

 

Depois do encontro trocámos outras ideias, anunciámos que o próximo clássico será um calhamaço para contrabalançar com a novela de Capote. Ao longo deste mês teremos nova votação. Se quiserem ser membro do clube podem ir através do Goodreads (CLICA  AQUI). Podem participar na próxima votação e até sugerir títulos. Existem discussões todos os meses entre os membros e acaba por ser muito dinâmico. 

 

Munkee_0605125041.jpg

Depois de almoço e muita conversa fomos dar um passeio. Infelizmente não consegui ir ao evento do Cury como estava previsto devido a uma má disposição (ainda estou para saber se foi uma intoxicação alimentar ou outra coisa qualquer) e só depois de recuperar é que fui espreitar o espaço. Ainda encontrei a querida e simpática escritora Maria Cecília do livro "História em Pedacinhos" que me deu um beijinho e abraço, e trocou algumas palavras cheias de boa disposição. Também fiz algumas compras e vi escritores em sessões de autógrafos. Fui ver de perto um escritor que admiro, o Agualusa. Não encontrei o Afonso Cruz, mas vi a Isabela Figueiredo, David Machado, Rui Zink (a passear), Alice Vieira,...

 

Adoro passear na feira e sentir-me perto dos escritores. Ver pessoas felizes a comprar livros. Revi várias bloggers, conheci várias pessoas (demorou mas foi!) e apesar do enorme calor sentia-me feliz. Cheuei a casa cansada, com o coração cheio, a transbordar. Aqui fica uma palavra de incentivo para a menina Sandra que está este ano a trabalhar, força!!! E um beijinho à Edite que tive muita pena de não ter conhecido. A quem foi ao encontro quero deixar a minha enorme gratidão! Os clássicos estão vivos! Não é fantástico? É com muita felicidade que vejo os clássicos serem lidos e discutidos com tanto entusiasmo. Não deixes de participar numa próxima oportunidade.   

 

Espero conseguir regressar antes de terminar para o último passeio. Ainda há tanto para ver e fazer na Feira do Livro de Lisboa. Não percam! Prometo que vão gostar. 

 

Munkee_0605125210.jpg

 

Munkee_0605125619.jpg

 Quanto às compras. Vamos lá. Dois livros na RA por cinco euros (duas autoras portuguesas) e a Elena Ferrante por dez euros (livro do dia, no dia 1 de junho). Na Tinta da China estava este livro lindo do Charles Dickens por dez euros (livro do dia). Impossível ele ficar lá. É a edição mais linda de sempre. Por fim, uma novidade da Quetzal, Mariana Enriquez. Na Presença comprei o livro de fantasia do Nix por 3.95€. Estou muito satisfeita com as minhas compras. 

 

 goodreads twitter instagram facebook

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

ATAQUE INFORMÁTICO

por Cláudia Oliveira, em 16.05.17

 

 

Este fim de semana fui à biblioteca. Não podia requisitar livros devido ao ataque informático. Estavam com segurança máxima, segundo a bibliotecária. Isso deixou-me a pensar. Na forma como a tecnologia nos faz bem e mal ao mesmo tempo. Como tudo tem o outro lado da moeda. Como somos seres humanos dependentes dos avanços tecnológicos e não temos um plano B para nada. 

 

Imaginem os piratas informáticos nas nossas vidas por mais tempo. Semanas, meses. Estaríamos prontos para encontrar no tradicional papel a solução ou ninguém está preparado para registar os livros dos leitores num quadrado minúsculo de papel reciclado? Teríamos canetas suficientes (e aqui estou a exagerar)? Saberíamos escrever sem correcção ortográfica sofisticada? Infelizmente muitos não saberiam escrever. Como seriam as pessoas sem poder requisitar livros? Muitos sobreviveriam, não dariam pelas portas fechadas das bibliotecas locais (aquelas sem papel, claro). Deixa-me tão triste. 

 

Quando um computador falha, sem salvação, foram-se as férias filmadas desde que os miúdos eram pequenos. Ou o dia do nascimento. E por isso, desde que nasceram, no momento de cantar os parabéns, não tiro fotos para mais tarde recordar. Até costumo dizer aos amigos e familiares presentes que as memórias querem-se connosco. E nisto sou teimosa. É como um ritual novo para aproveitar os momentos, não deixo escapar um sorriso dos meus filhos. E eles querem-me com as mãos livres, para os abraçar e afagar os cabelos. Não querem ver ecrãs de telemóvel em vez de rostos felizes. Aposto que não. Uso esta técnica em vários momentos. E não estou a dizer que eternizar um momento não é bom. Claro que é. Graças às fotos consigo ver as semelhanças entre os sorrisos deles. 

 

Isto do ataque informático deixa-me preocupada (mas consigo dormir na mesma). São os piratas dos tempos modernos que comandam o mundo. Os livros estão a salvo, venham os ebooks ou os audiobooks (esses nem pintados). E quem sabe escrever (sem erros) também. Lamento o rápido desabafo, juro que os meus pensamentos sobre o assunto foram longos e muito inteligentes. 

 

(este post não tem publicidade alguma, obviamente)

Autoria e outros dados (tags, etc)

O que mais gostamos de ler em blogues literários

por Cláudia Oliveira, em 24.01.17

 

Primeiro, o que são blogues literários?

São blogues dedicados à exposição de opiniões em relação às suas leituras. Não são necessariamente escritos por críticos literários ou especialistas em literatura. Se alguém tiver uma definição melhor deixe nos comentários.

 

- Opiniões com poucos detalhes

Os leitores não gostam de saber muitos pormenores dos livros que vão ler. Gostam de conhecer o enquadramento geral e as emoções passadas. Quanto menos, melhor.

 

- Desafios literários

Gostam de conhecer os desafios literários espalhados por aí e até participar em alguns. Sentem como um incentivo e uma forma de ler géneros normalmente deixados para segunda opção.

 

- TAGs

Sobretudo TAGs com conteúdo, com algumas dicas interessantes e temas pertinentes.

 

- Noticias e tópicos de discussão

Os leitores de blogues literários gostam de ter acesso a noticias rápidas e lançamentos. Gostam de estar informados das novidades.

 

- Aquisições

Compras literárias com uma leve nuance da sinopse.

 

- Listas

Listas diversas.

 

-  Conteúdo próprio e original

Personalidade do autor do blogue inserida no conteúdo do blogue assim como originalidade na criação de conteúdo. 

 

Alguma coisa a acrescentar?

Autoria e outros dados (tags, etc)

15 Escritores Que Influenciaram a Minha Vida

por Cláudia Oliveira, em 06.06.16

Sem nenhuma ordem , segue a minha lista.

1. W. Somerset Maugham (mudou o meu olhar em relação às pessoas no geral e em relação a mim em particular)
2. Saramago (fez-me olhar para Deus e para a morte de forma diferente)
3. Samuel Beckett (deixou-me envergonhada com o tempo que gastamos à procura do Godot)
4. Victor Hugo ( nunca tinha conhecido um livro perfeito até ler Os Miseráveis)
5. Dostoievski ( descobri os russos)
6. Jane Austen ( descobri a coragem)
7. Jorge Amado ( ajudou-me na fase mais triste da minha vida)
8. Sandor Marai ( li os seus romances na fase mais libertadora e importante da minha vida)
9. Afonso Cruz ( a beleza das palavras, mais ainda)
10. Elena Ferrante (encontrei-me num livro)
11. George R Martin ( a única série que me prendeu e me transformou numa fangirl)
12. Charlotte Bronte ( deu-me uma das melhores protagonistas da minha vida, Jane Eyre)
13. Eça de Queiroz ( quando as leituras obrigatórias eram um prazer)
14. Virginia Woolf ( quando uma escritora é tão inspiradora...)
15. Chimamanda Ngozi Adochie ( enriqueceu o meu olhar perante a sociedade actual e levantou questões que nunca tinham surgido dentro de mim)

Extra
16. Pepetela (deu-me um bocadinho da cultura do meu marido)
17. Vargas Llosa ( apresentou-me a literatura latino americana)
18. Orhan Pamuk ( o encantamento de ler de forma lenta, muito lenta)
19. Michael Ende (magia para a minha vida)
20. Anne Frank e Primo Levi (e de repente o mundo não é assim tão belo)

Nesta lista estão os meus autores preferidos, os donos do meu coração e sem dúvida aqueles que estiveram presentes nas alturas mais marcantes da minha vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

SPOILER | Impressões | Os Luminares

por Cláudia Oliveira, em 06.06.16

 

 

Moody, um homem com vinte sete anos, chega ao Hotel Crown em Nova Zelândia após uma viagem num navio. Ele vai em busca de ouro e sossego. Assim que entra no Hotel encontra um grupo de doze homens que logo se mostram incomodados com a sua presença. Parece uma reunião.

 

Enquanto pede uma bebida, Moody é interceptado pelo Balfour que o questiona sobre a sua presença. Ele, de forma amistosa, responde a todas as perguntas. Toca em assuntos que o incomoda como a relação com o pai. A história é curiosa, e traça a personalidade do personagem.

 

Balfour tem cerca de cinquenta anos, é um homem humilde, perdeu o pai quando tinha onze anos e tem uma forma desajeitada de meter conversa com desconhecidos. Ele criou uma vidraria e acabou por transformar a sua riqueza numa rede de minas e ainda investiu em acções num banco e construiu três hotéis. Acabou por vender tudo e ir para Nova Zelândia. 

 

Moody vai perceber que o interesse daqueles homens está no comandante Carver do navio que o trouxe até ali. Carver está ligado a uma mulher que foi presa por ter tentado pôr termo à vida. Também vai ficar a perceber que Carver é indicado como o assassino de outro homem. 

 

Balfour vai contar ao Moody os motivos que os levaram àquela reunião. E assim avançamos até ao segundo capitulo.

 

Confuso? Histórias dentro de histórias. Personagens ligados. Mistério, tramas e suspeitas. Apesar de ser um capitulo extenso e da autora divagar muito, parece-me que estamos perante um enredo muito bem elaborado. Vale a pena insistir.

 

Ontem aconteceu a discussão sobre os primeiros cinco capítulos e foi muito bom. Concordamos em relação à narrativa cansativa, mas estamos todos expectantes em relação a esta história que tem cada vez mais mistérios. Está a ser bastante desafiante. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sobre as leituras obrigatórias no ensino escolar

por Cláudia Oliveira, em 02.06.16

Posso mostrar o lado positivo dos livros obrigatórios na escola? Os pais são obrigados a comprar os livros para os lermos. Felizmente, desta forma, tive a oportunidade de ler mais livros numa fase em que os livros eram um objecto só para alguns. Felizmente, dessa forma, tive oportunidade de ter alguns livros numa altura em que pedir livros era algo só para acontecer no aniversário ou no Natal. Pronto, eu não me importava nada com leituras obrigatórias e foram elas que me "salvaram" muitas vezes. Fica aqui um ponto de vista completamente diferente. ♥️🙏🏻 Quem não gostou do livro A Menina do Mar, A Fada Oriana ou O Cavaleiro da Dinamarca?!

 

Resposta a esta notícia

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Ler vários livros ao mesmo tempo

por Cláudia Oliveira, em 31.01.16

Da mesma forma que gosto de comer alimentos diferentes ao longo do dia, eu gosto de ler histórias diferentes conforme o meu estado de espírito. Da mesma forma que não vejo a mesma série por dias seguidos, eu gosto de ter várias opções literárias à minha espera. Eu leio vários livros ao mesmo tempo. Às vezes, leio apenas um. Na maioria das vezes, leio vários. 

 

Não confundo as histórias, nem troco o nome dos personagens. Costumo fazer assim: um livro leve, um livro mais profundo/extenso (um clássico, um calhamaço,...) e um ebook (às vezes, é o mesmo que o livro profundo/extenso). Costumo ter três leituras em andamento. Cheguei a ter quatro leituras em andamento, com um livro de ensaios/crónicas/não ficção na lista. 

 

O livro leve leio no café, nas filas de espera, nas viagens de carro. O livro profundo/extenso leio em casa, quando está tudo sossegado ou antes de dormir. O ebook é para aqueles momentos em que não posso acender a luz ou quero avançar com o livro profundo/extenso, mas devido ao peso do livro físico ele é substituído pelo Kobo. O livro de crónicas/ensaios/não ficção é para quando quero ler algo num curto espaço de tempo. Normalmente, demoro para terminar.

 

As vantagens em ler vários livros ao mesmo tempo são: Nunca fico parada nas leituras. Nunca tenho aquela sensação de "o livro é chato, não vou voltar a ele", o que podia muito bem fazer com que eu evitasse ler e procurar ver um filme. Nunca acontece. Nem sofro de ressaca literária. Às vezes, o problema é o livro, somos nós. Não me obrigo a ler um livro triste em dias deprimentes. Ou vice-versa. Pode dar cabo da nossa opinião em relação a um livro fantástico.

 

O mundo fica mais interessante! Um bocadinho de cada vez, em vez de um livro chato de uma só vez. Porque há livros para ler devagar, outros para nos fazerem companhia em salas de consultório e ainda outros para nos embalarem. Como os amigos. Há sempre aquele amigo com quem preferimos ir às compras, não é verdade? 

 

Os meus truques:

Gosto de ler livros completamente diferentes. Escolho assuntos diferentes. 

Faço escolhas mediante os meus projectos literários.

Tento escolher autores com nacionalidade diferentes.

Escolho sempre a próxima leitura conforme o meu estado espírito. 

Se um livro estiver a ser chato ou arrastado equilibro com um livro com uma narrativa rápida e divertida. 

Anoto os livros que estou a ler na minha agenda. Falo sobre eles com outras pessoas. 

Termino sempre os livros. Só abandono um livro quando estou a odiar ou não estou a na altura certa da vida para continuar. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Livros novos na estante

por Cláudia Oliveira, em 08.01.16

IMG_7110.JPG

 

Pai Nosso, Clara Ferreira Alves - presente de Natal. 

A Rapariga Dinamarquesa, David Ebershoff - presente de aniversário

Butcher´s Crossing, John Williams - presente de aniversário

Mulheres de Cinza, Mia Couto - presente de aniversário

Os Antiquários, Pablo di Santis - compra

Sepulcro, Kate Mosse - compra

Homem na Escuridão, Paul Auster - compra

Da Mão para a Boca, Paul Auster - compra

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


QUER ANUNCIAR O SEU LIVRO? contactoclaudiaoliveira@gmail.com


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


subscrever feeds