Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Annabel | Kathleen Winter

por Cláudia Oliveira, em 14.10.16

14225529_10154436819184323_2203759094877274010_n.j

 

 

No Goodreads

Minha pontuação 5*

 

Este livro foi um presente inesperado e acabou por ser uma leitura surpreendente e maravilhosa. Oferecido pela Dora numa troca de livros, acabei por ler na última maratona literária na qual participei. Não foi o facto de ele ter na capa a seguinte frase: "Finalista do Orange Prize 2011" que despertou o meu interesse, foi a sinopse. 

 

Passa-se em 1968, numa vila canadiana muito pequena, onde nasce um bebé com os dois sexos. No momento do parto estão presentes apenas os pais e a parteira, uma amiga da família chamada Thomasina. O pai quer que o bebé seja criado e educado como um homem. A mãe e a Thomasina sentem que aquele bebé é uma menina. 

 

Este assunto era tabu e continua a ser, o que faz deste livro uma leitura necessária. A sociedade machista dominava e as mulheres viviam reprimidas. A história é um retrato fiel dos tempos passados e dos tempos actuais. O que mudou entretanto, perguntamos ao longo da leitura. No entanto, vamos encontrar mulheres fortes prontas para ir contra a corrente. É interessante ver a força das mulheres perante o poder dos homens. 

 

"As pessoas eram rios, sempre prontas a passarem de um estado de ser para o outro. Não achava justo tratar as pessoas como se fossem finitos."

 

Destaca-se Thomasina, uma personagem secundária que rouba o destaque das outras personagens sempre que aparece, com a sua própria fé e convicções. Acabei por gostar de todas as personagens, são muito bem construidas dentro da sua individualidade. Mesmo não concordando com a decisão do pai do bebé, acabei por conseguir nutrir por ele vários sentimentos. É um homem conservador, de poucas falas, com grande amor pelo filho. Annabel é uma personagem fantástica, é impossivel não sentirmos curiosidade em relação à permanente descoberta que faz dele mesmo em relação à sexualidade e à vida no geral. 

 

Nunca tinha lido nada sobre hermafroditismo e adorei. Acho que a história passa uma bela mensagem sobre a condição humana e princípios morais. O que somos? O que é que a sociedade espera de nós? O sexo define a nossa personalidade? A autora conta a história com descrições lindíssimas, nunca é lamechas nem acrescenta cenas desnecessárias. 

 

Algumas pessoas provavelmente não vão gostar do final, mas considero maravilhoso. Este livro fez-me aprender e pesquisar bastante. Mexeu com as minhas emoções, transformou-me e trouxe-me questionamentos que nunca teriam sido possíveis sem ele. A maternidade é um assunto que me interessa, ler livros onde podemos ter contacto com outras experiências bem distintas é absolutamente formidável. É a essência da literatura. 

 

Adorava que todos lessem este livro. 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor