Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



"A Jangada de Pedra" | Saramago

por Cláudia Oliveira, em 14.11.16

 No Goodreads

Minha pontuação 4*

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Ano da Morte de Ricardo Reis | José Saramago

por Cláudia Oliveira, em 24.11.15

 

Vou tentar descrever o que senti durante a leitura deste livro maravilhoso de José Saramago. O Ano da Morte de Ricardo Reis é absolutamente fantástico. Fez-me amar mais Lisboa, as pessoas e a vida. O escritor conseguiu surpreender-me ao longo da leitura e viver algumas semanas no ambiente característico do século XIX. A mentalidade do povo português pouco mudou. 

 

Ricardo Reis regressa do Brasil depois de estar dezasseis anos longe do seu país. O estranhamento inicial e a procura de um lugar para chamar de lar. Passear pelas ruas lisboetas pelo olhar do médico foi agradável. A paixão e o amor entre duas mulheres tão diferentes. Personagens femininas fantásticas. Quando estas mulheres roubam a cena ao protagonista são, sem dúvida, as minhas partes preferidas.

 

Li o livro de forma lenta como a narrativa pede. São expostos vários temas a partir das observações dos personagens e acontecimentos. Os diálogos entre Ricardo Reis e o seu criador deixaram-me fascinada com a forma brilhante como o escritor resolveu contar esta história. 

 

Imersa enquanto folheei as páginas deste livro. Mexeu com as minhas emoções e emocionou-me. Cinco estrelas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Projecto Ler Saramago

por Cláudia Oliveira, em 11.08.15

Comecei o projecto Ler Saramago em Outubro de 2014. A última leitura relacionado com este projecto foi em Fevereiro. Tenho de retomar, tenho saudades. Escrevi opinião de todos os romances lidos. Quatro, por enquanto. 

 

  • Terra do Pecado, 1947
  • Manual de Pintura e Caligrafia, 1977
  • Levantado do Chão, 1980 
  • Memorial do Convento, 1982
  • O Ano da Morte de Ricardo Reis, 1984 - próxima leitura
  • A Jangada de Pedra, 1986
  • História do Cerco de Lisboa, 1989
  • O Evangelho Segundo Jesus Cristo, 1991
  • Ensaio Sobre a Cegueira, 1995 - reler
  • Todos os Nomes, 1997 -  reler
  • A Caverna, 2000
  • O Homem Duplicado, 2002
  • Ensaio Sobre a Lucidez, 2004 - reler
  • As Intermitências da Morte, 2005 - a ponderar a releitura, li há pouco tempo e ainda está fresco na minha memória, existe vídeo no canal, podem ver AQUI.
  • A Viagem do Elefante, 2008 - a ponderar a releitura, li há pouco tempo e ainda está fresco na minha memória.
  • Caim, 2009 - a ponderar a releitura, li há pouco tempo e ainda está fresco na minha memória.
  • Claraboia, 2011 - a ponderar a releitura, li há pouco tempo e ainda está fresco na minha memória.
  • Alabardas, Alabardas, Espingardas, Espingardas, 2014

Autoria e outros dados (tags, etc)

Momentos só nossos

por Cláudia Oliveira, em 19.06.15

Na cadeira de baloiço, vimos a curta metragem A Maior Flor do Mundo adaptada ao livro infantil escrito por José Saramago. Falei-lhe um bocadinho sobre a influência que ele teve na minha vida, dos seus livros. Com quinze meses, não entendeu nada mas escutou-me com atenção. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ter um bocadinho de Saramago na minha vida

por Cláudia Oliveira, em 18.06.15

 

Ver o filme Enemy, baseado no livro O Homem Duplicado

Ler a revista Blimunda.

Reunir os meus livros do autor e tirar uma fotografia.

Reler O Conto da Ilha Desconhecida.

Assistir à curta A Maior Flor do Mundo com o meu filho.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Blimunda

por Cláudia Oliveira, em 18.06.15

Blimunda é a revista mensal que a Fundação José Saramago publica todos os meses. Pode ser descarregada AQUI. A última edição, número 37, inclui notas preparatórias que Saramago escreveu para o livro Ensaio Sobre a Lucidez

Autoria e outros dados (tags, etc)

Foi há cinco anos...

por Cláudia Oliveira, em 18.06.15

José Saramago morreu, às 11h45 (hora portuguesa) desta sexta-feira, dia 18 de Junho, vítima de cancro, em Lanzarote. Tinha 87 anos.
José Saramago morreu "estando acompanhado pela sua família, despedindo-se de uma forma serena e tranquila".

Autoria e outros dados (tags, etc)

Recordar Saramago

por Cláudia Oliveira, em 18.06.15

 

Eventos para conhecer AQUI

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Memorial do Convento | José Saramago

por Cláudia Oliveira, em 13.02.15

capa.jpg

 

Existem várias edições deste livro, a minha preferência é a última edição. Um exemplar mora na minha estante. Uma capa simples com letras a negro. A edição está impecável.

IMG_0182.JPG

 

expetativa.jpg

 

Já tinha tentado ler duas vezes este livro, mas não passava das primeiras páginas. Felizmente, após ler as opiniões positivas das participantes do desafio Ler Saramago, fiquei cheia de vontade e agarrei no livro mais entusiasmada. Felizmente, este mês foi o momento certo.

enredo.jpg

 

A história passa-se no século XVIII durante o reinado de D. João V e a Inquisição. D. João promete construir um convento se a sua mulher engravidasse. E cumpre.

Temos também Baltazar e Blimunda, o casal central deste romance. Conhecem-se de uma forma inesperada, diria mágica, apaixonam-se perdidamente e vão viver juntos.

Depois, temos o Frei Bartolomeu Lourenço de Gusmão. Tem um sonho, construir uma passarola para voar.

A Inquisição persegue os sonhos de quem sonha e acredita neles.

personagens.jpg

 

O livro está repleto de personagens bem construídos.

Saliento a grande e maravilhosa Blimunda, por quem me apaixonei perdidamente como ela se apaixonou por Baltasar. Tem um dom, mas não vou contar qual. Ela e o seu amado Baltasar são um par romântico cheio de poesia e amor.

Frei Bartolomeu é um sonhador, um louco sonhador. Aquele homem que gostava de ter como amigo. Fiquei um pouco triste com o seu destino, mas é válido. Bastante válido.

escritaleitura.jpg

 

O livro é intenso, cheio de longas frases, com todas as características conhecidas do escritor José Saramago. Adoro, mas possivelmente cansativo para alguns leitores. Não recomendo este romance como primeira leitura.

geralerealidade.jpg

 

Pequeno aviso. Este texto de opinião é reduzido em relação à grandiosidade desta obra. Prima, obra-prima! O livro surpreendeu-me, emocionou-me e deslumbrou-me.  

Sempre olhei para as grandes obras do homem com algumas dúvidas. Como construíram este convento/palácio com as condições operárias na altura? Acho impressionante. Não havia a facilidade de mobilidade, muito menos as máquinas desenvolvidas de hoje. O livro descreve muito bem esse aspecto. Um bocadinho cansativo de acompanhar mas interessante.

O amor está presente neste livro. O amor aliado aos sonhos. Tem passagens muito bonitas. Quando o casal Blimunda e Baltasar se encontra pela primeira vez, quando fazem amor, a forma como comunicam, entre outros momentos de uma enorme sensibilidade e beleza.

A dura crítica à religião, a deus. Às pessoas que servem a deus.  Questionamentos sem fim.

Os sonhos de Bartolomeu em querer voar. A maldita Inquisição presente neste livro, destruidora de sonhos.

E aquele final? Tive de ler três vezes para perceber (Para interiorizar) realmente o que se tinha passado. Brutalmente fantástico.

Este livro entrou para os livros da minha vida. Mais uma vez, Saramago deixou-me atordoada com tanto talento. Fez-me pensar nos meus sonhos. No amor. Na vida, na curta vida para os sonhos. Na curta vida para amar.

notafinal.jpg

 

5 estrelas.

 Opinião da Michelle AQUI

Autoria e outros dados (tags, etc)

17760622_OJdez.jpeg

O livro é o segundo romance escrito pelo autor José Saramago. Li este livro devido ao desafio: Ler Saramago. O desafio consiste em ler todos os romances do autor. O romance Manual de Pintura e Caligrafia foi publicado em 1977. Devido ao título a minha expectativa não era a maior. Para além disso, acho que nunca li nenhuma opinião acerca do livro anteriormente. Um livro um bocado esquecido na bibliografia do autor. Sensação minha. Será?

transferir.jpg

 

17760624_dZFb3.jpeg

 

Manual de Pintura e Caligrafia pode ser considerado mesmo um manual. O protagonista/narrador é H., um pintor que consegue viver da arte de pintar. Certo dia, após uma pintura, ele vai começar a questionar-se sobre si mesmo. 

17760627_7NvTE.jpeg

 

O livro está cheio de divagações, questionamentos. Talvez por isso, seja chamado de manual. Tem passagens incríveis! Fiquei com vontade de sublinhar tudo. Mas li em e-book. Ponto negativo para os e-books. 

Algumas passagens servem para reflectir, outras para admirar. Gostei sobretudo quando ele reflecte sobre a arte e/ou os outros. Por exemplo:

“O rico nunca vê, nunca repara, apenas olha, e acende os cigarros com o ar de quem esperaria que já viessem acesos: o rico acende o cigarro ofendido, isto é, o rico acende ofendido o cigarro, porque não há, ali, acaso, ninguém que lho acenda.”

Vou colocando as citações no meu tumblr: http://bookandi.tumblr.com/ ou no twitter: ClaudiaOSimoes.

Gostei do livro. Nas últimas cinquenta páginas tornou-se um bocadinho chato, mas valeu a pena pelas passagens e ensinamentos. A forma como Saramago expressa a sua opinião na voz dos seus personagens deixa-me um bocadinho mais perto dele. Gosto dessa sensação.

Neste livro, as frases de Saramago começam a ficar enormes e o seu estilo forma-se. Não recomendo a leitura deste livro a quem nunca leu nada do autor. Só para admiradores. Não é dos meus preferidos. Não o achei espectacular. Contudo, foi bom.

17760630_uFh5t.jpeg

 

Três estrelas. Bom, mas nada de especial. 

Podem ler a opinião da Michelle do blog Resumo da Ópera. Ela está a participar no desafio juntamente comigo.

O próximo romance é Levantado do Chão. Publicado em 1980. Mais uma vez, não sei nada de nada sobre este livro. Fica o desafio.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


AUTORES QUE NOS UNEM

VISITA O SITE