Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



ENTREVISTA A BRUNO VIEIRA AMARAL

por Cláudia Oliveira, em 08.06.17

 

2017-06-07_17.23.19.jpg

 

 

Li o seu mais recente romance lançado pela Quetzal em Abril deste ano. Um dos melhores livros deste ano certamente. Ainda estou a construir uma opinião digna para escrever neste blog. Brevemente, prometo. Estava muito ansiosa para fazer esta entrevista, e tive uma vontade imensa de questionar tudo. Vocês entendem, existem livros e autores que nos marcam. Quando temos uma oportunidade como esta a alegria apodera-se e uma espécie de histerismo também. Vi o autor na Feira do Livro no dia da abertura mas não fui capaz de pedir um autógrafo ou trocar uma palavra. No entanto, tive esta oportunidade. Eternamente grata à Quetzal

 

Sem mais delongas. O autor foi vencedor do Prémio José Saramago em 2015 com o seu primeiro livro romance, "As Primeiras Coisas", editado em 2013. Não parou de receber prémios: Prémio Literário Fernando Namora 2013; Prémio Time Out Livro do Ano 2013; Prémio P.E.N. Narrativa 2013. Formado em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE é também crítico literário e tradutor. Tem um blog, Circo da Lama

 

O autor está na Feira este fim de semana (10 e 11) e dia no próximo (17) no espaço Porto Editora. 

 

 ***

A Feira do Livro de Lisboa junta leitores e escritores no mesmo espaço durante mais de quinze dias. O Bruno Vieira Amaral estará presente para dar autógrafos. Considera importante estar perto e ouvir as pessoas? Como é a sua relação com os seus leitores? 

 

Gosto do ambiente da feira do livro e de estarmos todos ali, escritores e leitores, por causa dos livros que uns escrevem e os outros lêem, mas não sei se as conversas são assim tão importantes. A minha relação com os leitores é de total liberdade e sem qualquer tipo de compromisso de parte a parte. 

 

Li o seu livro recentemente e adorei. Tenho muita vontade de ler o primeiro. A maioria fez o caminho pela ordem de publicação. Sente que este livro está a ser tão bem recebido como foi o primeiro? 

 

As críticas na imprensa têm sido positivas e este livro, como seria de esperar, chegou a um número superior de leitores mais rapidamente. O outro talvez tenha tido a vantagem de ser uma novidade e este tem a desvantagem de ser analisado em comparação com o outro.

 

O Bruno Vieira Amaral é escritor, tradutor e crítico literário. Como é ser alvo dos críticos literários? Lê tudo o que escrevem sobre si? Passa os olhos pelos blogues ou não sente nenhum interesse? 

 

A partir do momento em que publicamos um livro temos de estar prontos para ser um "alvo", e não apenas dos críticos literários, e não apenas dos críticos literários que escrevem sobre os nossos livros. Sou uma pessoa atenta. 

 

No seu livro existem várias referências a uma infância nos anos 80 passada na margem sul. Senti muita identificação e vivo do outro lado, perto da capital. As diferenças entre a capital e a margem sul são mais evidentes agora? 

 

As diferenças continuam a existir, e ainda bem. Sem o imbecil ,embora habilmente disfarçado, sentimento de superioridade dos lisboetas que valor teria o nosso furioso sentimento de inferioridade?

 

"Herdamos os genes, é certo". Também herdamos os lugares? Também definem que somos? 

 

Nós não somos definidos nem pelos genes, nem pelos lugares, embora uns e outros pesem no que somos e nas escolhas que fazemos. 

 

A relação entre o protagonista e o avô é descrita de forma muito intensa e admiração. O seu avô foi o maior impulsionador no gosto pela leitura,  consequentemente como escritor? 

 

Não. A influência do meu avô foi genética. 

 

"As nossas memórias domina um brilho fulo,  um tanto esbatido,  o tom quente das fotografias,  a cor saturada das recordações". Escrever este livro foi uma viagem às suas memórias? Regressou com novas memórias? 

 

O livro é apresentador como uma investigação em que o narrador, a certa altura, se concentra nas sua memórias de infância. Muito das minhas memórias serviram de base às memórias deste narrador, ainda que haja outras que são puras invenções. Portanto, diria que fui ao mercado da memória e escolhi criteriosamente as que me convinham para compor esta história.

 

Para investigar o assassinato de João Jorge acaba por ir à biblioteca fazer alguma pesquisa em jornais. Ainda costuma ir à biblioteca?  

 

Sim, vou frequentemente à biblioteca.

 

Disse uma vez numa entrevista que antes de escrever um livro já se sentia um escritor. Quando é que percebeu que estava na hora de escrever um livro? 

 

Quando senti que o músculo da escrita estava suficientemente treinado para aguentar uma maratona. 

 

O Bruno Vieira Amaral é leitor . Tem uma rotina diária de leitura ou passa por longos períodos sem tocar num livro (quando escreve, por exemplo)?

 

Não tenho nenhuma rotina enquanto leitor. À excepção dos períodos em que tenho de ler por obrigação profissional, leio com a saudável indisciplina do bom leitor. 

 

Muitos são os leitores que pretendem seguir uma carreira no mundo da literatura. Pode deixar algum conselho para quem sonha editar um livro em Portugal? 

 

Leiam muito, escrevam muito, não tenham pressa em publicar. 

 

 

2017-05-22_18.04.20.jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

OS CLÁSSICOS ESTÃO VIVOS NA FEIRA DO LIVRO DE LISBOA

por Cláudia Oliveira, em 05.06.17

Munkee_0605125125.jpg

 

Ontem fui à Feira do Livro de Lisboa pela segunda vez este ano para o segundo encontro do Clube dos Clássicos Vivos. Aconteceu de manhã no jardim do Parque Eduardo VII depois de nos termos reunido no grupo Porto Editora. Agradeço a todos que acordaram cedo num domingo para falar de livros. Mais precisamente, no livro escolhido para estes meses, "A Boneca de Luxo", de Truman Capote.     

 

A discussão correu de forma positiva, foram debatidos vários temas dentro desta novela que eu própria desconhecia. Acabou por trazer outros pontos de vista e acrescentar mais profundidade ao livro. Confesso que não tinha ficado muito impressionada com o livro, mas acabei por ter vontade de dar outra oportunidade. As opiniões dividiram-se em relação a alguns aspectos, mas foi unânime em relação à experiência de leitura.  

 

No final tivemos um sorteio patrocinado pela editora Guerra & Paz. Foram sorteados três títulos clássicos da colecção que a editora tem vindo a editar com preços muito acessíveis. As capas fizeram muito sucesso e apesar de alguns membros já terem lido, a maioria ficou entusiasmada com o sorteio e os vencedores felizes por receberem os seus livros. Obrigada à editora! Também foram oferecidos lápis com a gravação do nome do clube. Queria dar uma lembrança diferente dos habituais marcadores. Talvez consiga ter mais surpresas nos próximos encontros. 

 

Depois do encontro trocámos outras ideias, anunciámos que o próximo clássico será um calhamaço para contrabalançar com a novela de Capote. Ao longo deste mês teremos nova votação. Se quiserem ser membro do clube podem ir através do Goodreads (CLICA  AQUI). Podem participar na próxima votação e até sugerir títulos. Existem discussões todos os meses entre os membros e acaba por ser muito dinâmico. 

 

Munkee_0605125041.jpg

Depois de almoço e muita conversa fomos dar um passeio. Infelizmente não consegui ir ao evento do Cury como estava previsto devido a uma má disposição (ainda estou para saber se foi uma intoxicação alimentar ou outra coisa qualquer) e só depois de recuperar é que fui espreitar o espaço. Ainda encontrei a querida e simpática escritora Maria Cecília do livro "História em Pedacinhos" que me deu um beijinho e abraço, e trocou algumas palavras cheias de boa disposição. Também fiz algumas compras e vi escritores em sessões de autógrafos. Fui ver de perto um escritor que admiro, o Agualusa. Não encontrei o Afonso Cruz, mas vi a Isabela Figueiredo, David Machado, Rui Zink (a passear), Alice Vieira,...

 

Adoro passear na feira e sentir-me perto dos escritores. Ver pessoas felizes a comprar livros. Revi várias bloggers, conheci várias pessoas (demorou mas foi!) e apesar do enorme calor sentia-me feliz. Cheuei a casa cansada, com o coração cheio, a transbordar. Aqui fica uma palavra de incentivo para a menina Sandra que está este ano a trabalhar, força!!! E um beijinho à Edite que tive muita pena de não ter conhecido. A quem foi ao encontro quero deixar a minha enorme gratidão! Os clássicos estão vivos! Não é fantástico? É com muita felicidade que vejo os clássicos serem lidos e discutidos com tanto entusiasmo. Não deixes de participar numa próxima oportunidade.   

 

Espero conseguir regressar antes de terminar para o último passeio. Ainda há tanto para ver e fazer na Feira do Livro de Lisboa. Não percam! Prometo que vão gostar. 

 

Munkee_0605125210.jpg

 

Munkee_0605125619.jpg

 Quanto às compras. Vamos lá. Dois livros na RA por cinco euros (duas autoras portuguesas) e a Elena Ferrante por dez euros (livro do dia, no dia 1 de junho). Na Tinta da China estava este livro lindo do Charles Dickens por dez euros (livro do dia). Impossível ele ficar lá. É a edição mais linda de sempre. Por fim, uma novidade da Quetzal, Mariana Enriquez. Na Presença comprei o livro de fantasia do Nix por 3.95€. Estou muito satisfeita com as minhas compras. 

 

 goodreads twitter instagram facebook

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

ENTREVISTA À AUTORA ANABELA MOTA RIBEIRO

por Cláudia Oliveira, em 01.06.17

Anabela-Mota-Ribeiro_CA-131.jpg

 Foto de: Clara Azevedo

 

A primeira vez nunca esquecemos. Iniciamos em junho um novo espaço no blog "A Mulher que Ama Livros" dedicado às entrevistas breves e concisas, de forma a dar conhecer um pouco mais do trabalho feito em Portugal pelos nossos. Sempre foi um foco, "ler os nossos". Partilhar os nossos.

 

É um privilégio começar com uma autora portuguesa, talentosa, criativa e dinâmica. Fez rádio, é jornalista, coordena e modera debates sobre livros. Assina juntamente com o escritor Agualusa o programa da Feira do Livro do Porto (já viram o programa fabuloso para este ano?). O seu mais recente livro "A Flor Amarela" foi editado pela Quetzal em Fevereiro deste ano. Anabela Mota Ribeiro estará na Feira do Livro no dia 4 e 17 de junho. Foi um privilégio enorme fazer esta entrevista e conhecer um pouco mais a autora. Entretanto descobri que fiz o caminho ao contrário, devia ter lido "Memórias Póstumas de Brás Cubas" primeiro e a sua Flor depois.

 

 

A Feira do Livro de Lisboa está a chegar. Anabela Mota Ribeiro estará presente no dia 4 de junho. O que significa para si a Feira do Livro? Como olha para este evento? 


Gosto da Feira do Livro, gosto de espaços de encontro e descoberta, gosto de iniciativas que podem tocar públicos diversos, democráticas, gosto da misturada. Gosto, evidentemente, da possibilidade de comprar bons livros com preço especial, para mim e para oferecer. Vou estar a assinar livros em dois fins de semana: no primeiro, "Paula Rego por Paula Rego" e no domingo seguinte "A Flor Amarela - ímpeto e melancolia em Machado de Assis." 

 

A Feira do Livro do Porto dá aos leitores a possibilidade de conhecerem grandes estrelas como Han Kang, Laurent Binet e Teju Cole. Sente que ainda existe interesse dos leitores conhecerem e ouvirem os escritores?


Penso que o público tem uma grande apetência pelas conversas, pela possibilidade de diálogo, quer ser interpelado, ver com ouvidos, ouvir com o corpo todo. Ou seja, procura qualquer coisa que é única, diz respeito a um momento, a uma intensidade, qualquer coisa que implica aquele que assiste e o envolve com o corpo todo. De certa maneira, o virtual, a instantaneidade, o fragmento, nada disto rouba espaço às feiras do livro ou festivais literários. Eles complementam-se e potenciam-se.   

 

Existem livros que nos escolhem e outros que escolhemos. "Memórias de Brás Cubas" encaixa em alguma das situações? 


Li pela primeira vez MPBC na faculdade, numa disciplina de opção que fiz com o Prof. Abel Barros Baptista. Já tinha lido Machado, mas ele deu-mo a ler de outra maneira. O livro é uma constante escolha e um feitiço: somos agarrados por ele, lemos e lemos e nunca o achamos. Um clássico é também isso.

 

Ao ler "A Flor Amarela" fiquei deslumbrada e interessada no clássico. É sua intenção cativar novos leitores para Machado de Assis ao transformar o que começou por ser um trabalho académico de Filosofia neste livro?


Se houver pessoas a descobrir Machado de Assis a partir do meu livro, ou pelo que eu possa dizer sobre o autor, fico contentíssima. Lê-lo é um prazer imenso. Aliás, o que faz sentido é ler o livro do Machado e depois ler a minha Flor. Devo dizer que este trabalho académico mereceu mínimas alterações. A minha dissertação era heterodoxa... Procurei ler de um ponto de vista filosófico o livro. O meu lugar de partida era a Filosofia. Por isso também tive dois orientadores: um de Filosofia e outro de Literatura Brasileira, João Constâncio e Abel Barros Baptista, respectivamente.  

 

No seu blog disponibiliza várias entrevistas muito organizadas. O blog é reflexo da sua personalidade ou apenas uma ferramenta de trabalho? 


Talvez eu seja demasiado organizada (do estilo de pôr os cabides todos virados para o mesmo lado). O que me espanta é a possibilidade de viver na desordem e na sujeira (que são coisas diferentes, mas que aparecem juntas nesta minha mania). Por isso, sim, talvez esta organização que encontra no blog seja um reflexo da minha personalidade. O blog foi desenhado pelo Pedro Neves do Sapo a partir de conversas que tivemos e daquilo que lhe pedi. Ao mesmo tempo, o blog é apenas uma ferramenta de trabalho, uma expressão do que venho fazendo desde há uns anos. Gosto de pensar nele como uma casa onde está o essencial do meu trabalho; e eu, que não guardo nada, guardo tudo, afinal, ali.  

 

Já fez rádio, programas de televisão, coordena e modera debates de livros, é escritora e jornalista. O que lhe falta fazer? 


Falta sempre fazer tudo, não é? E falta tempo de digestão. As coisas precisam de tempo para ser pensadas, integradas, criadas. Faço essas coisas todas, às vezes todas ao mesmo tempo, mas acredito cada vez mais na importância do vazio, de não fazer nada, de não entender, de isso ser um motor para voltar a fazer tudo outra vez. 

 

"Se houver pessoas a descobrir Machado de Assis a partir do meu livro, ou pelo que eu possa dizer sobre o autor, fico contentíssima. Lê-lo é um prazer imenso."

 

goodreads twitter instagram facebook 

Autoria e outros dados (tags, etc)

EM 1º LUGAR DO TOP DE VENDAS | "ESCRITO NA ÁGUA"

por Cláudia Oliveira, em 18.05.17

Instasize_0508171435.jpg

Nada mais, nada menos do que o último livro da Paula Hawkins. Exactamente o livro que ando a ler (um presente dos meus filhos no dia da mãe). Segundo dados GFK entrou directamente para o primeiro lugar do top de vendas em Portugal.

 

Não se esqueçam que a autora estará na Feira do Livro dia 10 (15h-19h) e 11 de junho (14:30-17h). Vai ser a loucura!

 

Confesso que estou agradavelmente surpreendida, mas depois conto com mais pormenor a minha experiência de leitura. Podem ler os primeiros capítulos AQUI

 

Escrito na Água.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Trago novidades frescas! Vão adorar. Mais confirmações vindas do grupo Porto Editora.  

 

O autor Luís Pedro Nunes vai lançar o seu livro de crónicas Suficientemente bom, desprezivelmente mauA Feira do Livro conta também com a presença do autor do recente romance Vento de Espanha, João Pedro Marques. Um romance na década de 30, entre Lisboa e Madrid.

 

Quem marca presença é a autora cubana Karla Suárez para uma sessão de autógrafos. No inicio do ano lançou o romance Um lugar chamado Angola, sobre a presença cubana em Angola Já leram?

 

unnamed.png

 

Judite Sousa vai estar na Feira do Livro. Vamos poder ver e ouvir a jornalista falar no seu último livro Pensar. Sentir. Viver. Um livro que aborda a depressão e a estima da doença na sociedade. Vai ser muito interessante. É um assunto que me interessa e espero estar presente.  Vão ser dois dias felizmente. O poeta, sacerdote e professor José Tolentino Mendonça também não vai faltar juntamente com o seu próximo livro intitulado Teoria da Fronteira. Será lançado brevemente.

 

A grande novidade será a presença de Augusto Cury, o escritor, psiquiatra, psicoterapeuta e cientista.  Vi que ficaram muito interessados neste oportunidade única de ver e ouvir o escritor de perto. O recente livro O Homem Mais Inteligente da História é a sua obra mais importante, segundo o autor. Li há muitos anos dois livros do autor, mas espero ter a oportunidade de ler este. Estarei presente! Não vou faltar. Dia 4 às 15.30.

 

Vários Momentos Coolbooks vão reunir autores de língua portuguesa. Alguns nomes reconheço, outros nem por isso. Dia 9 de junho estarão presentes os autores António Bizarro, Catarina Janeiro, Célia Godinho Lourenço, Fernando P. Fernandes, Humberto Duarte e Isabel Tallysha-Soares. A 16 de junho será a vez de Ana Gil Campos, Ana Nunes, Olinda P. Gil, Rita Inzaghi e Tomás Borges de Castro.

unnamed (1).png

 

 

Vários Momentos Coolbooks vão reunir autores de língua portuguesa. Alguns nomes reconheço, outros nem por isso. Dia 9 de junho estarão presentes os autores António Bizarro, Catarina Janeiro, Célia Godinho Lourenço, Fernando P. Fernandes, Humberto Duarte e Isabel Tallysha-Soares. A 16 de junho será a vez de Ana Gil Campos, Ana Nunes, Olinda P. Gil, Rita Inzaghi e Tomás Borges de Castro.

 

 

Outros eventos.  Showcooking com o Chef Hélio Loureiro no dia 3 após o lançamento do livro Comer bem é o melhor remédio da nutricionista Alexandra Bento. Rita Canas Mendes será a anfitriã do workshop “Como Publicar o Seu Livro”, nos dias 8 e 15 de junho. Espero estar presente, adoro tudo o que está relacionado com a escrita.

 

Entusiasmo é o meu nome do meio neste momento. Mais noticias brevemente, tudo registado AQUI.

 

 

 

Marca na tua agenda

 

Luís Pedro Nunes - 2 de junho

Alexandra Bento - 3 de junho

João Pedro Marques - 3 e 18 de junho

Judite Sousa - 3 e 15 de junho

Karla Suarez -3  de junho

Augusto Cury - 4 de junho

José Tolentino Mendonça - 4 de junho

Rita Canas Mendes -  8 e 15 de junho

Autoria e outros dados (tags, etc)

AUTORES QUE NOS UNEM | FEIRA DO LIVRO DE LISBOA

por Cláudia Oliveira, em 10.05.17

unnamed.png

 

Faltam 22 dias para a grande festa do livro, a nossa querida Feira do Livro em Lisboa, no habitual e lindo Parque Eduardo VII. Não podia estar mais entusiasmada, é com grande alegria que faço as minhas visitas anualmente, este ano não será excepção. 

 

Ontem tive a oportunidade de obter informações em primeira mão por parte do Grupo Porto Editora e tudo farei para vos manter informados acerca das presenças ao longo destas próximas semanas. Prontos para festejarem e marcarem nas vossas agendas alguns encontros literários durante a Feira do Livro?  Muitas surpresas, preparem-se. Quero adiantar que terei vales de desconto para oferecer. Estejam atentos. Frequentemente actualizo com mais informações o TwitterFacebookInstagram. Pretendo fazer vídeos especiais, portanto estejam atentos ao canal no Youtube. Também podem acompanhar o site Autores Que Nos Unem, ou a página no Facebook

unnamed (2).png

 

 

Fiquei extremamente entusiasmada pelas confirmações de alguns autores. Passo a citar alguns nomes: Bruno Vieira Amaral, José Luís Peixoto, Luís Sepúlveda, Anabela Mota Ribeiro, Gonçalo M. Tavares e o encantador José Eduardo Agualusa. Haverá um evento especial sobre o Japão, Francesc  Miralles, autor do livro Ikigai, estará presente para revelar segredos sobre a arte de viver bem até aos cem anos. Temos de ir! Muitas outras surpresas estão à nossa espera. Desde workshops, showcooking, sessões de autógrafos, lançamentos e tertúlias. Mal posso esperar. 

 

Este ano contamos com a preseça pela primeira vez da Coolbooks. Uma chancela digital do Grupo Porto Editora, criada em 2014 com o objectivo de dar a conhecer  novos autores de língua portuguesa. Ideal para quem pretende editar com critério e rigor. Tira o teu livro da gaveta, arrisca. 

 

Para os mais novos teremos animação com a mascote Alfa e um evento dedicado ao sono tranquilo. Uma psicóloga do Porto estará no evento para falar neste assunto que tanto perturba os pais. O livro está a caminho. Aguardem por mais informações. Este evento não posso perder. 

 

Para falar no livro "Casamentos Reais da Família Real Portuguesa" contamos com as três historiadoras Ana Maria Rodrigues, Manuela santos da Silva e Ana Leal. Eventos para todos os gostos. É importante existir diversidade nestes eventos. A Porto Editora não se esquece de ninguém.

 

Outra grande surpresa, a Porto Editora convidou-me para recomendar livros aos visitantes da Feira do Livro de Lisboa. Estou tão contente por fazer aquilo que mais gosto. Recomendar livros é maravilhoso. Junto dos meus livros preferidos haverá uma nota com a minha recomendação. Se encontrarem alguma nota de recomendação assinada por mim não deixem de dar uma oportunidade ao livro, aposto que vão amar (assim como eu). Prometo escolher livros especiais para leitores especiais. 

 

unnamed (1).png

Marca na tua agenda

 

José Eduardo Agualusa - 3,4 e 15 de junho

Mário de Carvalho - 3 e 18 de junho

Teolinda Gersão - 3 e 18 junho

Lídia Ferro - 4 de junho

Anabela Mota Ribeiro - 4 e 17 de junho

Manuela Gonzaga - 10 de junho

Bruno Vieira Amaral - 10, 11, 17 de junho

Alberto S. Santos - 10, 11, 15, 17 e 18 de juho

Richard Zimmler - 10 e 11 de junho

Sérgio Godinho - 10 de junho

José Luís Peixoto - 11 de junho

Gonçalo M. Tavares - 15 de junho

Francisco Louçã - 15 de junho

João Teixeira Lopes - 15 de junho

 

Mais informações ao longo dos próximos dias. Contem-me, ansiosos por algum evento em particular? Querem conhecer algum escritor? Já têm planos para a vossa visita? Contem-me tudo!

 

 

 

 goodreads twitter instagram facebook

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Das conversas

por Cláudia Oliveira, em 16.06.15

eu: este ano a feira vendeu mais do que no ano passado!

amiga: claro, foste lá mais vezes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os Livros Que Comprei na Feira do Livro | 2ª Parte

por Cláudia Oliveira, em 13.06.15

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os Livros Que Comprei na Feira do Livro | 1ª Parte

por Cláudia Oliveira, em 11.06.15

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


AUTORES QUE NOS UNEM

VISITA O SITE


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D