Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Mais sobre mim

foto do autor



Links

Opiniões

Blogs




Perguntem a Sarah Gross | João Pinto Coelho

por Cláudia Oliveira, em 05.01.16

 

No Goodreads

A minha pontuação: 3*

 

A minha expectativa em relação a este livro era alta. Altíssima. Os rasgados elogios, criticas em jornais e revistas extremamente acutilantes. Um livro com quatro ou cinco estrelas em todas as opiniões no Goodreads? O que tinha de tão especial ? Nunca ouvi falar tanto de um livro de um autor português como foi o caso. Apesar de estar com o pé atrás, resolvi comprar o meu exemplar e descobrir sozinha. É a melhor forma, não é? 

 

A história desenrola-se com calma, sem acontecer nada que me fizesse ficar fascinada até à página duzentos e quarenta (se não estou em erro). Enquanto não acontecia nada, encolhia os ombros e pensava: não estou a perceber os motivos de tanto sucesso. Quando aconteceu o que aconteceu, não senti nenhum impacto. Se houve uma cena que mexeu comigo, essa cena aconteceu antes do primeiro ponto alto da história. E mesmo assim senti que o autor não desenvolveu bem a ideia. Nunca mais falaram num personagem que só entrou no colégio da Sarah Gross para ser discutido o racismo nos tempos modernos. Quem leu, sabe do que estou a falar. Isso incomodou-me. Assim como a importância da professora Kimberly na história depois do tal "ponto alto". Ela passou a ser passiva, apenas uma peça para o resto da história ser contada. 

 

As três estrelas representam a falha na minha expectativa, a falta de emoção nos momentos que pedia emoção. A justificação dos acontecimentos também é forçada. Alguns personagens são deixados para trás. As páginas finais são as melhores num romance que podia ser menos extenso. 

 

 

O melhor da existência deste romance é a frescura que o autor traz à literatura nacional. O Holocausto tem infindáveis pontos de vista, neste romance é diferente de tudo o que li. A história de Auschwitz  antes de ser Auschwitz. Merece por isso a consideração dos seus leitores. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


14 comentários

Imagem de perfil

De Inês a 05.01.2016 às 15:01

Também não me entusiasmou por aí além!
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 05.01.2016 às 15:12

Ahhh afinal não fui só eu.
Imagem de perfil

De Nathy ღ a 05.01.2016 às 16:03

Estou à espera de ser surpreendida por esse livro. Talvez pelo tema que "adoro"...
Mas também se for como A rapariga do comboio que não consegui gostar, apesar de meio mundo gostar...
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 05.01.2016 às 16:21

Depois conta tudo! :)
Imagem de perfil

De CD a 05.01.2016 às 22:35

Tinha este livro na minha wishlist - não sei se o vou manter...
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 06.01.2016 às 00:00

Se gostas do tema... acho que vale a pena. :)
Sem imagem de perfil

De Leandra Coutinho a 06.01.2016 às 12:44

Um bocadinho surpreendida pela tua opinião, tinha as tuas críticas em excelente conta. Não se trata de discordar porque cada uma sente a história à sua maneira, mas no caso deste livro estamos tão distantes que, como disse, fui apanhada de surpresa. Já terás desconfiado que achei o livro fantástico, sem dúvida o melhor e mais arrebatador que li nos últimos tempos (anos?). No meio da multidão que tem idolatrado este livro aparece sempre alguém que não viveu esta leitura da mesma maneira. Isso é normal, acontece com todos os romances parece-me. Aquilo que me surpreendeu foi quando dizes que a justificação dos acontecimentos é forçada. Tenho discutido o livro com imensas pessoas e a única coisa que tem sido realmente unânime é a qualidade do enredo, a forma como as peças se encaixam, a lógica da narrativa. É verdade que algumas pessoas o lêem duas vezes para se aperceber de certas coisas, mas a descoberta dos meandros da história é um dos maiores trunfos da fabulosa experiência que senti nesta leitura. Sobre o resto nada a dizer. Gostei muito de algumas personagens, sobretudo da Kimberley, e tive pena de as ver perder o protagonismo ou mesmo desaparecer, mas, ao contrário de ti acho que tinham mesmo de desaparecer a favor daquilo que verdadeiramente interessa na história. Cumpriram o seu papel e foi importante. Sobre a emoção já não digo nada porque isso é uma coisa muito pessoal. Desculpa um comentário tão longo mas esta troca de opiniões é aquilo que dá sentido aos blogues. Feliz ano de 2016!!!
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 06.01.2016 às 14:06

Obrigada Leandra pelo seu primeiro comentário no meu blog. Acho realmente que a justificação é forçada. Infelizmente também saí surpreendida com a leitura. Não correspondeu de todo à minha expectativa. Nem de perto. Um bom ano!! Boas leituras para 2016!
Sem imagem de perfil

De Cristina Torrão a 06.01.2016 às 19:00

A sua opinião coincide com a minha. E embora eu não tenha referido a boa oportunidade que o autor tinha de desenvolver o tema do racismo nos anos 1960, fiquei, tal como a Cláudia, muito desiludida por essa personagem ter desaparecido.

O romance quase se pode dividir em dois, o que me leva a perguntar se a história de Kimberley era mesmo necessária.

Acabei por dar quatro estrelas no Goodreads pelo suspense que o autor consegue criar na segunda parte e pela enorme sensibilidade que demonstra ao tratar certos temas. Mas, no conjunto, fiquei desiludida, sim, principalmente por saber que ele tem sido muito elogiado por grandes figuras da cena editorial portuguesa, que costumam desprezar tudo o que não seja alta literatura. Pergunto-me porque sentiram essas pessoas tanta necessidade de mostrar tanto entusiasmo... Mas enfim, isso já é outra história.
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 06.01.2016 às 19:06

Também fiquei a pensar nisso... Não entendi e até achei meio contraditório com certas opiniões dadas antes pelos mesmos críticos. Mas sim, são outros tostões. Fico satisfeita por saber que alguém se identifica com a minha opinião é não fui eu que inventei isto da minha cabeça. Obrigada.
Imagem de perfil

De Patrícia a 07.01.2016 às 15:44

(Gosto imenso quando há opiniões diferentes da minha, só demonstra que é possível dar uma opinião sincera mesmo quando o mundo ruma ao contrário).
Em primeiro lugar as expectativas são lixadas. Odeio pegar num livro com grande expectativa (talvez por isso ande a fugir do Stoner).
Lembro-me perfeitamente da cena de que falas e também fiquei com pena que não tenha sido mais explorada. Mas eu adorei a história da Kimberly (foi com ela e não com a Sarah que houve empatia). Fiquei com pena que a sua história tenha esmorecido. Concordo contigo que a parte do holocausto está contada de uma forma diferente do habitual e que por aí ganhou pontos.
Não sei se concordo contigo quando dizes que a justificação dos acontecimentos é forçada... se estás a falar de quem é o assassino, não concordo, acho essa parte genial. Se estás a falar da amizade (?!) entre a Sara e a Kimberly e as justificações que a utilizam então, acho que concordo contigo.
Mas apesar disso fui completamente atraída pelo livro e li-o compulsivamente em 2 dias... e só por isso tenho admitir que gostei imenso (às vezes criamos tal empatia com um livro que as suas fragilidades não nos incomodam- foi o meu caso)
Boas leituras e gostei da opinião.
Pat
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 07.01.2016 às 16:23

Gosto quando uma pessoa comenta de forma educada apesar de ter uma opinião diferente da minha. Eu consigo entender a tua opinião.

Estava a falar na amizade/ligação entre as duas. Não fez sentido para mim. E também senti mais empatia com a Kimberly, por isso estava à espera de maior destaque.

Aconteceu comigo em relação ao Stoner. Gostei muito, mas não senti o mesmo impacto que a maioria por causa das lixadas expectativas. Mas Stoner é um excelente livro! Não me tocou foi de forma grandiosa.

Obrigada :)
Sem imagem de perfil

De Eduarda Cotrins a 08.01.2016 às 11:32

Já eu não me surpreendo com a sua opinião. Era o que faltava que os livros recolhessem unanimidade. Mesmo eu, que adorei o livro e o coloco sem hesitação entre as mais tocantes e intensas experiências de leitura em que mergulhei, acho curiosa esta onda de exaltação que vemos por aí. Não tanto por parte do público (apesar de verificar que o livro é elogiado por todos os géneros de leitores), mas sobretudo lendo o que vou lendo nas críticas (ditas) especializadas. Não é costume. Mas também é verdade já encontrei leitores que não gostaram. Cada qual sente o livro à sua maneira. E ainda bem que assim é, logo eu que adoro debater estas coisas. Um beijinho Cláudia.
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 08.01.2016 às 13:02

Também gosto de debater os assuntos. Não levo como ofensa pessoal. É interessante perceber as diferenças e os motivos. Foi bom perceber o motivo de tantas opiniões favoráveis. E consigo entender perfeitamente. Assim como de outros livros. Comigo não funcionou. No entanto, não deixo de recomendar a leitura. Três estrelas, ao contrário do que as pessoas pensam, não é uma má pontuação. É positiva. Para mim, quatro estrelas é preciso tocar-me bastante ou adorar as personagens. Não foi o caso.

Comentar post




Mais sobre mim

foto do autor



Links

Opiniões

Blogs