Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




QUER ANUNCIAR O SEU LIVRO? contactoclaudiaoliveira@gmail.com



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D



"A LUZ DA NOITE" | GRAHAM MOORE

por Cláudia Oliveira, em 13.10.17

IMG_20171013_163858_HDR.jpg

 

Foi a primeira vez que eu li algo escrito por Graham Moore, mas já ficou debaixo de olho para futuras leituras.

 

Segundo as informações contidas na capa, Graham Moore é escritor e realizador de sucesso. Lembram-se do filme "O Jogo da Imitação"? Pois é, o guião deste filme foi escrito por ele e venceu um Óscar para melhor guião adaptado e ainda foi nomeado para um BAFTA e um Globo de Ouro. Esta história também vai virar filme brevemente. Eddie Redmayne, o nosso ruivo, será o terrível Thomas Edison. 

 

Esta história passa-se no século XIX em Nova Iorque. George Westinghouse e Thomas Edison vão entrar numa batalha para ver quem inventou a lâmpada. Thomas afirma que foi o primeiro a patentear a ideia e vai lutar até ao fim para defender a sua criação.  Acaba por contratar o advogado Paul para entrar com um processo contra George depois deste abrir uma empresa e começar a comercializar a lâmpada. Afinal, qual deles foi?

 

A "Luz da Noite" é uma obra de ficção histórica. Além dos nomes, acontecimentos e locais verdadeiros e conhecidos que constam desta narrativa, todos os nomes, personagens, locais e incidentes são fruto da imaginação do auto ou são utilizados ficcionalmente."

 

Mais do que uma batalha entre egos, esta história é a defesa dos criadores de ideias e o desprezo pelo plágio. O mais interesse neste livro foram as questões levantadas a respeito deste assunto para além do todo o conhecimento em relação à energia elétrica e posteriores criações consequentes da mesma. Como a cadeira elétrica, por exemplo. 

 

Engane-se quem está a pensar que este livro é uma aula de história chata. Nada disso. O livro é rico em personagens cativantes, com as quais temos dificuldade em sentir simpatia mas nos fazem torcer por elas. Tive a impressão que o Graham Moore inspirou-se no Steve Jobs para criar a personalidade do Thomas Adison. Há várias citações do criador na Apple no inicio dos capitulos. Para além disso tem um nível de arrogância muito semelhante.

 

É um romance histórico com informações que acrescentam e um ritmo que prende. Resta-me esperar pelo filme e recomendar esta leitura. 

 (livro cedido pela editora)

goodreads twitter instagram facebook

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Gorduchita a 13.10.2017 às 17:07

Fiquei curiosa. Gosto imenso de livros que cruzam história com ficção! :)
Imagem de perfil

De Cláudia Oliveira a 16.10.2017 às 10:06

Também gosto imenso :)

Comentar post




QUER ANUNCIAR O SEU LIVRO? contactoclaudiaoliveira@gmail.com



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D