Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

amulherqueamalivros

O que espero ler em Fevereiro

IMG_0168.JPG

 

Para o desafio 12 Livros 12 Receitas o país escolhido é França. Vou ler o autor Honoré de Balzac com o livro "A Mulher de Trinta Anos" em vez do calhamaço "Ilusões Perdidas". Aproveito e serve este livro para o desafio 1 Clássico por Mês. 

FullSizeRender (1).jpg

 

 

Para o desafio Ler Saramago vou ler "O Memorial do Convento". Super entusiasmada!

FullSizeRender_2.jpg

 

Para o desafio do tema do mês Amor ou Traição vou ler "O Museu da Inocência" de Orhan Pamuk. 

FullSizeRender.jpg

 

 

Pretendo terminar as leituras iniciadas em Janeiro: "David Copperfield" de Charles Dickens e "O Amante da Rainha" de Philippa Gregory. 

FullSizeRender_1.jpg

IMG_0167.JPG

 Boas leituras! 

O que espero ler em Janeiro + Projecto + Surpresa

Todas as leituras que pretendo fazer em Janeiro. Todos os projectos que vou participar. Uma surpresa para quem assistir ao vídeo.

As Bastardas
www.asbastardas.blogspot.com

Entre Pontos e Vírgulas
http://entrepontosevirgulasforum.blogspot.com.br/

Blogue
http://amulherqueamalivros.blogs.sapo.pt/

Boletim de Leituras 2015
http://amulherqueamalivros.blogs.sapo.pt/tag/boletim+de+leitura

Projecto | Ler Saramago | Levantado do Chão | José Saramago

17799538_T2Wgf.jpeg

 

Publicado em 1980, é o terceiro romance de José Saramago.

O título não podia ser outro.  

17799541_8zcob.jpeg

 

O livro tem várias histórias. A principal é a história da família Mau-Tempo, três gerações. Vai desde o final do século XIX até aos anos seguintes à Revolução 25 de Abril. Passa-se sobretudo no Alentejo, um retrato em jeito de homenagem aos “nossos” lutadores.

Saramago nas dificuldades, na miséria, na opressão vivida. É o retrato fiel da classe trabalhadora.

17799542_ZwEl2.jpeg

 

Estava à espera de um romance estilo Saramago. Bem desenvolvido e forte.

17760625_omVcj.jpeg

 

Personagens muito portuguesas, com alma alentejana. Humildes, trabalhadores, sonhadores. À espera de um futuro melhor, lutam pelos seus direitos. À espera de um futuro melhor, sonham, querem levantar-se do chão, onde trabalham curvados, com condições precárias.

Nem o sobrenome “Mau-Tempo” foi escolhido em vão. Personagens debaixo de nuvens negras, com um destino pouco solarengo.

17799543_ZWBSn.jpeg

 

Este foi o livro que mais gostei do desafio Ler Saramago. Ainda só li três. Nota-se uma evolução enorme na construção do romance do segundo para o terceiro. Aqui, encontrei o Saramago que tanto gosto. Este livro é muito bom. Apesar de algumas partes maçadoras, foi um gosto enorme ler este romance.  

A ironia entra unida a uma crítica do autor sobre as forças políticas. Interessante quando ele coloca as formigas como espectadoras da verdade. Se as formigas falassem… É, talvez, a minha parte preferida deste romance. Fique atento, se for ler.

O clima desta narrativa é angustiante e triste. Não recomendo  leitura se estiver numa fase triste da sua vida.

Com uma releitura iria tirar maior partido. É Necessita de tempo e paciência. Recomendo sobretudo este livro aos grandes admiradores do autor.

“…assim é o mundo feito que não se apercebem uns do mal dos outros, mesmo quando tão perto estão como mãe e filho.”

“Há quem tenha o sono pesado, há quem o tenha leve, há quem ao adormecer se despegue do mundo, há quem não saiba estar senão deste lado e por isso sonha.”

17799551_a6scn.jpeg

 

Quatro estrelas. Bastante bom este livro. Não dei cinco estrelas porque senti algum cansaço e perda de ritmo em alguns capítulos. Não deu para sentir o que senti com “Intermitências da Morte” e “Ensaio sobre a Cegueira”, mas andou lá perto. 

 

O próximo romance será Memorial do Convento. Para ler só em janeiro. 

 

Post da Michelle: Resumo da Ópera

Projecto | Ler Saramago | O Manual de Pintura e Caligrafia

17760622_OJdez.jpeg

O livro é o segundo romance escrito pelo autor José Saramago. Li este livro devido ao desafio: Ler Saramago. O desafio consiste em ler todos os romances do autor. O romance Manual de Pintura e Caligrafia foi publicado em 1977. Devido ao título a minha expectativa não era a maior. Para além disso, acho que nunca li nenhuma opinião acerca do livro anteriormente. Um livro um bocado esquecido na bibliografia do autor. Sensação minha. Será?

transferir.jpg

 

17760624_dZFb3.jpeg

 

Manual de Pintura e Caligrafia pode ser considerado mesmo um manual. O protagonista/narrador é H., um pintor que consegue viver da arte de pintar. Certo dia, após uma pintura, ele vai começar a questionar-se sobre si mesmo. 

17760627_7NvTE.jpeg

 

O livro está cheio de divagações, questionamentos. Talvez por isso, seja chamado de manual. Tem passagens incríveis! Fiquei com vontade de sublinhar tudo. Mas li em e-book. Ponto negativo para os e-books. 

Algumas passagens servem para reflectir, outras para admirar. Gostei sobretudo quando ele reflecte sobre a arte e/ou os outros. Por exemplo:

“O rico nunca vê, nunca repara, apenas olha, e acende os cigarros com o ar de quem esperaria que já viessem acesos: o rico acende o cigarro ofendido, isto é, o rico acende ofendido o cigarro, porque não há, ali, acaso, ninguém que lho acenda.”

Vou colocando as citações no meu tumblr: http://bookandi.tumblr.com/ ou no twitter: ClaudiaOSimoes.

Gostei do livro. Nas últimas cinquenta páginas tornou-se um bocadinho chato, mas valeu a pena pelas passagens e ensinamentos. A forma como Saramago expressa a sua opinião na voz dos seus personagens deixa-me um bocadinho mais perto dele. Gosto dessa sensação.

Neste livro, as frases de Saramago começam a ficar enormes e o seu estilo forma-se. Não recomendo a leitura deste livro a quem nunca leu nada do autor. Só para admiradores. Não é dos meus preferidos. Não o achei espectacular. Contudo, foi bom.

17760630_uFh5t.jpeg

 

Três estrelas. Bom, mas nada de especial. 

Podem ler a opinião da Michelle do blog Resumo da Ópera. Ela está a participar no desafio juntamente comigo.

O próximo romance é Levantado do Chão. Publicado em 1980. Mais uma vez, não sei nada de nada sobre este livro. Fica o desafio.

Projecto | Ler Saramago | Terra do Pecado

capa.jpg

 

Já disse que adoro as capas novas dos livros de José Saramago? Várias vezes. Infelizmente “Terra do Pecado” não teve direito a capa nova. Sabiam que o livro era para chamar-se “Viúva” mas a editora achou por bem alterar o título com a autorização do autor? Saramago explica tudo no inicio do livro. Pessoalmente, acho “Terra do Pecado” muito melhor. E ao contrário do que li por aí, tem tudo a ver com a história.

expetativa.jpg

 

Quando comecei o desafio Ler Samarago sabia que estava perante a evolução narrativa do autor ao ler por ordem cronológica. A minha expectativa não era muito alta em relação à narrativa, mas sabia de antemão que seria uma boa história por ser escrita pelo meu autor preferido.

enredo.jpg

 

Maria Leonor fica viúva, com dois filhos e uma casa enorme para cuidar. Com empregados fiéis, amigos da família, ela vai lutar para ultrapassar a dor da perda do seu marido. Vai lutar contra o preconceito de recomeçar a sua vida numa terra onde as viúvas não podem dar continuidade à sua vida e manchar a honra da família. Numa terra onde os mortos são a justificação para parar de viver. A terra do pecado dita leis à sociedade onde o luto é obrigatório, os mortos merecem respeito e dar continuidade à vida é considerado um pecado. Sorrir é pecado. Viver é pecado.

personagens.jpg

 

Todos os personagens me pareceram bastante credíveis. Muito bem construídos.

 A empregada Benedita vai ser bastante importante para este trama e ainda hoje me questiono em relação a algumas atitudes. Ficaram algumas coisas por responder em relação a ela. Aliás, tenho as minhas respostas mas sem certezas. O autor não é explícito. Benedita é a voz da sociedade hipócrita. Irritou-me imenso pelos julgamentos que ela faz à Maria Leonor.

A protagonista, Maria Leonor, é frágil e medrosa. Não gostei muito dela, incomodou-me várias atitudes. Sobretudo no final.

O meu personagem preferido é o médico Viegas. É interessante, dá ritmo à narrativa e à vida da Maria Leonor. Faz perguntas pertinentes, deixou-me a pensar várias vezes.

geralerealidade.jpg

 

Acho a discussão deste livro muito interessante. Saramago não se aprofundou em relação aos temas mas não deixaram de ser importantes para o leitor questionar os seus princípios. Dei vários sorrisos ao longo desta leitura. Deu-me a sensação que Saramago usou a personagem do médico para dizer aquilo que pensa em relação à sociedade.

A narrativa é simples. Como li outros romances do autor, sei que houve uma enorme evolução ao longo do seu percurso. Contudo, adorei ler o primeiro romance de Saramago. Este livro tem a presença de todos os elementos ortográficos da narrativa, ao contrário dos alguns dos seus romances. É uma história simples, retrato fiel à nossa sociedade, com questões interessantes.

Alguns assuntos mereciam maior aprofundamento por parte do autor. Senti que foi um final pouco à altura do resto da história. Meio forçado.

A minha mãe ficou viúva com três filhos, há 18 anos. Nessa altura, foi alvo de críticas pela sociedade porque decidiu seguir com a sua vida e ser feliz. Enquanto lia este livro vi a minha mãe, vi aquele lado que os filhos esquecem que os pais têm, a vida amorosa, a necessidade de amar e ser amada. Mas ao contrário de Maria Leonor, a minha mãe foi mais corajosa.

final.jpg

 

Não gostei do final escolhido para esta história. Fui apanhada de surpresa e não estava nada, mesmo nada, à espera. O final podia ter servido para eu mudar a minha opinião em relação à protagonista mas não foi o caso, pelo contrário.

notafinal.jpg

 

Quatro estrelas. Pela qualidade da narrativa e questões levantados.

 

 

Projecto | Ler Saramago

Saramago é amor. Sou admiradora do seu trabalho, enquanto homem apaixonado pela escrita e o seu grande amor. É impossível ficar indiferente à história de amor dele com Pilar. Li algumas das suas obras e nunca fiquei desiludida. Acho-o um génio nas suas ideias, magnifico na sua forma de escrever. Vejo Saramago como arte eterna e amor. A minha admiração é imensa. Um homem que gostaria de ter conhecido, simultaneamente nervosa num encontro à distância.

Comecei um projecto chamado Ler Saramago (existe vídeo no canal no Youtube). Consiste em ler todos os seus romances por ordem cronológica. Começo pelo romance *Terra do Pecado*, publicado em 1947. Este romance chamava-se “A Viúva” mas a editora considerou um título pouco comercial. Saramago aceitou, queria apenas que o seu livro fosse editado.

Lista de romances publicados

Terra do Pecado

Manual de Pintura e Caligrafia

Levantado do Chão

Memorial do Convento

O Ano da Morte de Ricardo Reis

A Jangada de Pedra

História do Cerco de Lisboa

O Evangelho Segundo Jesus Cristo

Ensaio Sobre a Cegueira

Todos os Nomes(lido)

A Caverna

O Homem Duplicado

Ensaio Sobre a Lucidez(lido)

As Intermitências da Morte(lido)

A Viagem do Elefante(lido)

Caim(lido)

Claraboia(lido)

Alabardas, Alabardas, Espingardas, Espingardas

Irei reler os livros lidos. Pretendo comprar todos os títulos e completar a minha colecção. Se o mesmo não for possível farei a leitura através dos livros da biblioteca (existem todos os títulos na Biblioteca Municipal de Alenquer) ou e-books. Farei textos durante o caminho percorrido neste desafio. Uma forma de registar as minhas ideias, opiniões e quem sabe incentivar alguém a ler as obras de Saramago. Convido todos a juntarem-se a mim neste desafio maravilhoso de ler José Saramago. Saramago ganhou o Nobel da Literatura no dia 8 de Outubro de 1998.