Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




SOU LEITORA BETA CONTACTE-ME PARA AVALIAÇÃO contactoclaudiaoliveira@gmail.com

BREVEMENTE

Resultado de imagem para mario de carvalho novidade porto editora  Cronovelemas






CLUBE DOS CLÁSSICOS VIVOS

Resultado de imagem para a ilustracasa de ramires asa eça




Sete autores portugueses juntaram-se e escreveram este livro. Nomes como Afonso Cruz, Alice Vieira e David Machado suscitaram a minha curiosidade em relação a este livro. A capa também me cativou, assim como o título.


Não li a sinopse, gosto de descobrir a história ao longo da leitura. Na capa, fui avisada - "De uma coisa podemos ter a certeza: as coisas não são como são". Comecei a ler este livro sem nenhuma expectativa, sem ter lido alguma opinião previamente. 


O primeiro capítulo começa por apresentar o personagem Sebastião, ou Roda. Sebastião apaixona-se por uma mulher em pleno Teatro São Carlos mas esquece-se do seu rosto. Vive amargurado com esse facto, mergulhado em absinto. Ele encontra, logo nas primeiras páginas e para piorar o drama em que vive, a mãe morta. Verde no pescoço, com um cheiro horrível. E o quê que ele faz? Mete uma ventoinha contra a pobre senhora em direcção à janela. A história é tão bizarra que até a morte que podia ser um tema pesado é retratado com humor. 


Infelizmente não sei quem é o autor deste divertido capítulo. Não temos indicação em momento algum. Pelo tema, diria que é David Machado. Pela referencia aos chapéus, diria que é Afonso Cruz. Vou ficar na ignorância. 


Estou entusiasmada com a leitura deste livro. O primeiro capítulo é dinâmico, divertido e muito criativo. A leitura perfeita para depois de um clássico. 

Autoria e outros dados (tags, etc)




SOU LEITORA BETA CONTACTE-ME PARA AVALIAÇÃO contactoclaudiaoliveira@gmail.com

BREVEMENTE

Resultado de imagem para mario de carvalho novidade porto editora  Cronovelemas






CLUBE DOS CLÁSSICOS VIVOS

Resultado de imagem para a ilustracasa de ramires asa eça