Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




SOU LEITORA BETA CONTACTE-ME PARA AVALIAÇÃO contactoclaudiaoliveira@gmail.com

BREVEMENTE

Resultado de imagem para mario de carvalho novidade porto editora  Cronovelemas






CLUBE DOS CLÁSSICOS VIVOS

Resultado de imagem para a ilustracasa de ramires asa eça

JULHO | RESUMO

por Cláudia Oliveira, em 31.07.17

Munkee_0731134254.jpg

 

Li 12 livros

2 livros infantis

10 autores novos

6 mulheres, 6 homens

 

"Café Amargo", Simonetta Agnello Hornby

"Carta a um Filho", Rudyard Kipling

 "O Castelo de Vidro", Jeanette Walls

"Um Mundo de Pernas para o Ar", Elan Mastai

"Fábrica de Melancolias Suportáveis", Raquel Gaspar Silva

"Canção Doce", Leila Slimani

"Dias Úteis", Patricia Portela

"Os Segredos que Nunca Nos Contaram", Albert Espinosa

"Livrarias", Jorge Carrión

"As Oito Montanhas", Paolo Cognetti

"As Palavras", Ladybird

"Nossa Senhora de Paris", Victor Hugo

 

 

  

Vídeos: 

CONVERSA FIADA | JOGADOR DE FUTEBOL APANHADO A LER

ELENA FERRANTE l SOBRE OS LIVROS E ENTREVISTAS

DÉJÀ LU | UMA DAS LIVRARIAS MAIS BONITAS

DE 5 EM 5 + LEITURAS EM ANDAMENTO (32)

S7 E1 GUERRA DOS TRONOS | resumo e comentários

"CAFÉ AMARGO" | SIMONETTA AGNELLO HORNBY (texto + vídeo)

"O CASTELO DE VIDRO" | JEANNETTE WALLS (texto + vídeo)

"AS OITO MONTANHAS" | PAOLO COGNETTI (post + vídeo)

 

 

Livros comprados: 6

Livros preferidos do mês: "As Oito Montanhas", de Paolo Cognetti e "Livrarias", de Jorge Carrión.

 

Como correu a TBR?

TBR JULHO | FEELING BOM

Correu muito bem. Li tudo, só estou a terminar um da pilha. Já tenho mais ou menos preparada a TBR do próximo mês. Vem aí muitos calhamaços. Agosto costuma ser um mês muito agitado e de poucas leituras. Veremos. 

 

 

 

Janeiro | Resumo

Fevereiro | Resumo

Março | Resumo

Abril | Resumo

MAIO | RESUMO

JUNHO | RESUMO

Autoria e outros dados (tags, etc)

"DIAS ÚTEIS" | PATRÍCIA PORTELA

por Cláudia Oliveira, em 31.07.17

IMG_20170721_134940.jpg

Há dois anos que ando para ler algo da Patrícia Portela. Foi desta. 

 

Recentemente lançado pela Caminho, "Dias Úteis" tem pouco mais de cem páginas. Numa edição linda levou-me a uma compra por impulso. E mais uma vez não errei. Pelo contrário, é maravilhoso. Assumo que tenho algum receio em recomendar este livro. Tem pouco de linear e tradicional. Precisamos de sair da zona de conforto e dar lugar a novas vozes na literatura portuguesa.

 

Antes de começar a semana, temos um conto espectacular sobre o dia do GRANDE jogo. O mundo pára para ver o grande jogo. A ironia é presente nas palavras inquietantes que nos representam. Uma linguagem recriada, estendida para a filosofia, várias metáforas e alegorias.  Dias que perdemos aqui e acolá, e assim se passa mais uma semana. 

 

Um livro para reler. Um livro que acrescenta, nos vira do avesso e nos deixa a pensar. Que mais queremos nós da literatura? Foi uma leitura intensa e curta. Sobre isto de ocupar os dias, (in)conformados. Um conto por cada dia da semana. 

 

"somos todos zombies, nem carne, nem peixe, nem vivos, nem mortos, e não há plano de contingência para tamanha catástrofe natural."

 

Recomendado. Vou ler certamente mais livros da autora.

 

(livro comprado com algum risco)

Autoria e outros dados (tags, etc)

"AS IMPERTINÊNCIAS DO CUPIDO" | ANA GIL CAMPOS

por Cláudia Oliveira, em 31.07.17

 

Foi a capa que despertou o meu interesse por este livro. Uma coisa leva a outra, acabei a virar do avesso o blog da autora Ana Gil Campos e consequentemente o interesse aumentou. Este não é o seu primeiro romance, já editou outros dois, todos com títulos bastante sugestivos e capas bonitas. "As Impertinências do Cupido" foi lançado pela Coolbooks em junho. 

 

Episódios amorosos em tempos modernos. Num ambiente familiar, num bairro Itaim Bibi, em São Paulo, onde as personagens acabam por se cruzar. Certamente que reconhecemos um ou outro casal próximo ou sentimos alguma identificação com algum diálogo. Acabamos a sorrir com algumas histórias e incomodadas com outras.

 

Curto, conciso e escrito de forma leve como uma bebida fresca no verão à beira da piscina. A autora não dá espaço para o leitor mergulhar nas histórias nem criar uma ligação com as personagens. 13 histórias muito breves que se lê numa tarde de verão. 

 

Mulheres inseguras e decididas, homens ciumentos e namoradeiros. Encontros e desencontros. Mensagens e convites para jantar. Redes sociais pelo meio, escolhas erradas e desejos casuais. Pessoas um bocadinho loucas, talvez demasiado concentras no amor e nas paixões perdidas. Será o amor sobrestimado?

 

Gostei, mas não é memorável. 

 

(livro cedido pela autora)

Autoria e outros dados (tags, etc)

image001.jpg

 

Vencedor dos prémios National Book Award 2016 e Pulitzer 2017. Será lançado em Setembro pela  Alfaguara. Quero muito ler este livro sobretudo pela temática. Tenho a sensação que estamos perante um excelente livro. 

 

SINOPSE

A Estrada Subterrânea é a história de Cora, uma escrava que foge de uma plantação de algodão na Georgia e que embarca numa viagem através da mítica Undergroung Railroad, uma linha de comboio subterrânea que terá servido de fuga a milhares de negros durante o período do esclavagismo. Cora atravessando vários estados americanos, à medida que procura a sua verdadeira liberdade, e em fuga constante de um caçador de escravos.

 

Ficha técnica
A Estrada Subterrânea
De Colson Whitehead
ISBN 
978 989 665 280 7
384 Páginas
PVP c/IVA 18,80€

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Escrevo desde os oito. Escrevi três livrinhos. O diário do André (inspirado nos diários de Adrian Mole), a história da Inês e outro inacabado cujo o nome da protagonista não interessa. Pedi uma máquina de escrever com nove anos e ainda a guardo no quarto com carinho. Enquanto não descobri a literatura pensei ser uma possível escritora. Pensei ter qualidades, maturidade e noção de todas as características para um romance. Fui para a escola, sonhava através das composições com mundos imaginários muito elogiados pelo professor careca de português. Gabava tanto a minha criatividade que passei a acreditar fortemente que tinha um talento. Escrevi uma peça de teatro representada diante da escola pela turma, subi ao palco com um ramo de flores. Os testes psicotécnicos sugeriram uma profissão ligada às humanidades. Nasceu um desejo na minha vida: ser escritora. E dizia a toda a gente. Sem vergonha, com os olhos brilhantes. Escrevi várias vezes esse sonho em todos os blogues que tive (desde 2006). Nos meus diários pessoais. Entre amigos, família. Queria ser escritora. Cheguei a participar em alguns concursos literários.

 

Cresci, infelizmente. A ingenuidade deu lugar à realidade. Conheci a literatura através dos russos e apaguei esse desejo porque não tenho nada para acrescentar. Não vou fazer a diferença. Quanto mais leio boa literatura mais tenho certeza que não passa de um sonho doido. O talento tem outro nome. Nomes gigantes. E para fazer igual ao que continuo a criticar prefiro manter-me afastada enquanto "o músculo da escrita" não é forte o suficiente. Nunca será, nunca terei a habilidade dos mestres. No entanto, o mercado parece ter espaço para todos. Um mercado que achava limitado ao talento, acabou por estender-se às estrelas, youtubers, actrizes cozinheiras, apresentadoras fit, apresentadoras românticas, etc...Não é com desdém que digo isto, só quero dizer que se calhar não é impossível editar um livro no mundo moderno. Ou auto publicar. Leio livros que são considerados os preferidos de muitas pessoas e repenso, consigo escrever um bocadinho melhor. Afinal uma das super dicas dos escritores é: leia muito. Eu leio muito, posso escrever um livro? Não creio. No entanto não me imagino a desligar a luz dos meus sonhos enquanto baixo os olhos e digo: esquece. O amor pode ser a (minha) única motivação (e a quantidade enorme de pessoas no mundo também) e a realidade o meu maior obstáculo.

 

No fundo, sempre escrevi melhor no escuro e a minha vida agora tem muita luz. As palavras não escorrem imparáveis, nem o meu olhar tem distância suficiente para alcançar o absurdo de tudo isto.

 

Deixo algumas sugestões para aspirantes a escritores,

 

"Poquê Ler os Clássicos?", Italo Calvino

"A Arte de Escrever", Arthur Schopenhauer

"Cartas a Um Jovem Poeta", Rainer Maria Rilke

"Para Ler como Um Escritor", Francine Prose

Qualquer livro do Bukowski

Autoria e outros dados (tags, etc)

LANÇAMENTO | "ATOS HUMANOS" | HAN KANG

por Cláudia Oliveira, em 24.07.17

Depois de ter adorado "A Vegetariana" não podia ficar mais contente ao saber que um novo livro da autora está a chegar no final de Agosto. Tem recebido opiniões muito favoráveis. Olhem só esta sinopse. É compra na certa. 

 

SINOPSE

Em 1980, por toda a Coreia do Sul, os estudantes revoltaram-se contra o fecho de universidades e a falta de liberdade de expressão. Porém, na região de Gwangju, a repressão foi tão violenta que a população acabou por se juntar ao protesto, dando origem a um dos piores massacres na história do país. Os mortos e desaparecidos ainda estão, de resto, por contabilizar.

Como lidar com a morte de alguém quando o seu corpo não aparece? Esta é a história de Dong-ho, um rapaz que não resistiu a seguir o melhor amigo até à manifestação, mas, quando ouviu os tiros, largou-lhe a mão, procurando-o agora entre os cadáveres de uma morgue improvisada. E é também a história dos que cruzaram o caminho de Dong-ho antes e depois dessa noite infame - os que caíram por terra desarmados e os que foram levados para a prisão e torturados; os que sobreviveram ao terror mas nunca mais conseguiram falar do assunto e os que, tantos anos passados, sabem, tal como Han Kang, que a história pode repetir-se a qualquer momento e que é preciso lembrar os atos brutais de que os humanos são capazes.

Este é um romance universal e moderno sobre a batalha que os fracos travam contra os fortes na luta pela justiça.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

CONVERSA FIADA | JOGADOR DE FUTEBOL APANHADO A LER

por Cláudia Oliveira, em 23.07.17

 

 

 

Neste vídeo comento a notícia do jogador do Sporting apanhado a ler no banco a ler Saramago. Falo no próximo #lerosnossos e no título que escolhi ler. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

ELENA FERRANTE l SOBRE OS LIVROS E ENTREVISTAS

por Cláudia Oliveira, em 22.07.17

 

Neste vídeo sobre todos os livros da autora italiana e comento as entrevistas dadas. Também comento as respostas dadas pelo seguidores deste canal no vídeo "Discutir".

 

goodreads twitter instagram facebook

Autoria e outros dados (tags, etc)

"NOSSA SENHORA DE PARIS" | VICTOR HUGO

por Cláudia Oliveira, em 21.07.17

IMG_20170619_145722_HDR.jpg

IMG_20170619_130118_HDR.jpg

Levei comigo até Paris o livro de Victor Hugo. E ainda tive o privilegio de estar pertinho do lugar onde ele escreveu este romance, a sua casa. Tem uma vista lindíssima, diga-se de passagem. Inspiração não lhe faltava, presumo. Este romance surgiu na tentativa do autor salvar a Catedral Notre Dame, um edifício que previa ser demolido. E parece que ele conseguiu! 

 

Vamos ao livro? Gostei bastante da experiência de leitura em Paris. A leitura fluiu super bem enquanto lá estive. Fiquei agarrada ao enredo, às personagens e a todas as descrições. Li numa edição antiga da biblioteca local dividida em dois volumes. Estava a correr super até que vim para Portugal e troquei para a edição da Civilização. A edição encontra-se esgotada. 

 

Munkee_0721101812.jpg

Não sei muito bem explicar o que se passou, mas o meu entusiasmo esmoreceu. O ritmo de leitura diminui e o meu interesse também. Só fui recuperar quase no final com as peripécias envoltas ao Quasímodo. Ele aparece poucas vezes, ao contrário do que estava à espera. Quando aparece é espectacular. E aquele final? Arrasador. Triste, triste. 

 

A grande protagonista deste romance é a Catedral, são feitas diversas descrições e exposta toda a sua importância. Victor Hugo nunca poupou os leitores em relação aos pormenores das suas histórias. E gosto bastante da narrativa, adorei "Os Miseráveis" (um dos favoritos da vida, para reler), mas este livro perdeu-me a um dado momento. Isso não tira o valor da obra, é grandiosa e deve ser lida. A critica política e social que o autor faz é extraordinária. Vale pelo contexto social-económico. As personagens são todas complexas e bem desenvolvidas. 

 

Passa-se no século XV, em 1482, em Paris. Victor Hugo volta a dar voz aos pobres e rejeitados. A Catedral para além de ser um lugar de oração, ajudava os órfãos e os que procuravam refúgio. Há um reconhecimento dessa necessidade, um pedido para continuar a desempenhar o seu papel social. Também temos uma critica envolta ao papel da mulher, a perseguição obsessiva e a opinião de Victor Hugo em relação à condenação por enforcamento. Ele realmente não era de acordo com tal julgamento. A mensagem mais evidente é a dificuldade da sociedade em aceitar a diferença. Quasímodo, é um homem desfigurado, e a sociedade não tem piedade. A primeira cena, durante a festa na praça, é muito triste. Fiquei abalada. 

 

Quanto à adaptação da Disney, não tem nada a ver. A mensagem está lá, o Quasímodo também.Adoro o filme, revi antes de iniciar a leitura e foi encantador. A música da Sara Tavares, "Longe do Mundo" é arrepiante e ternurenta. Umas das minhas músicas preferidas da Disney. 

 

Recomendo. Victor Hugo é mestre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

DÉJÀ LU | UMA DAS LIVRARIAS MAIS BONITAS

por Cláudia Oliveira, em 20.07.17

IMG_20170719_154549.jpg

 

IMG_20170719_154619.jpg

 

 

IMG_20170719_154602.jpg

IMG_20170719_154642.jpg

IMG_20170719_154615 (1).jpg

IMG_20170719_154731.jpg

 

 

 

ontem estive com a Holly a fazer voluntariado na Déjà Lu, uma livraria solidária, 100% das vendas revertem para a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21. aproveitei e doei alguns livros. a livraria fica em Cascais, perto da Pousada da Juventude. os livros vendidos são em segunda mão (a maioria em muito bom estado) e o espaço é lindo de morrer. está tudo exposto com muito cuidado. há livros para todos os gostos. livros que metem medo, literatura marota, livros que estiveram quase a ganhar um Nobel, ... o espaço é enorme! os preços são excelentes! 

 

recolhi várias fotos do espaço e filmei. no vídeo podem ver com mais pormenor. não podia deixar de vos recomendar a visita. prometo que não se vão arrepender. as horas voas, os sorrisos são inevitáveis, a paixão pelos livros circula entre os visitantes. por baixo da livraria existe um restaurante, tem tudo óptimo aspecto e um cheiro maravilhoso. para a próxima.

 

 

 

goodreads twitter instagram facebook

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/3




SOU LEITORA BETA CONTACTE-ME PARA AVALIAÇÃO contactoclaudiaoliveira@gmail.com

BREVEMENTE

Resultado de imagem para mario de carvalho novidade porto editora  Cronovelemas






CLUBE DOS CLÁSSICOS VIVOS

Resultado de imagem para a ilustracasa de ramires asa eça