Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




TAG | Emoji Book TAG

por Cláudia Oliveira, em 24.08.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

Um pouco de cinema com "This Above All"

por Cláudia Oliveira, em 24.08.14

 

Depois de descobrir o site Cinema Clássico a minha vida mudou para sempre. Descobri que gosto de cinema clássico, de filmes a preto e branco e que ha um mundo novo por descobrir. Lancei-me de corpo e alma para esta nova paixão. Vi o filme This Above All (Isto, Acima de Tudo) de 1942 e apaixonei-me mais ainda. A história é convincente e encantadora. Uma história de amor com a guerra como pano de fundo. Maravilhosa representação dos actores. Nada chato. Uma história sobre patriotismo e valores. Vale a pena dar uma vista de olhos ao site e conhecer. Eu fiquei fã e vou continuar a assistir aos filmes online que o site oferece. O próximo será Beijos Proibidos de 1968. Para já, deixo a indicação deste filme maravilhoso. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Memórias de uma Gueixa | Arthur Golden

por Cláudia Oliveira, em 23.08.14

Toda a gente deve conhecer o filme ou o livro Memórias de uma Gueixa. Pessoalmente, tinha visto pedaços do filme mas nunca o filme completo. Comprei o livro entre o ano passado e este, estava na prateleira à espera do momento. Este mês foi o momento. Algo me atraiu para o livro. Sem ler ou ouvir outras opiniões parti à descoberta da história. Sabia pouco ou quase nada.

 

Este livro conta a história da Sayuri desde o momento em que é vendida pelos pais como escrava como nove anos até ao momento em que se transforma em gueixa. Acompanhamos o sofrimento e a aprendizagem dela na área da dança, sedução, maquilhagem, roupa, forma de estar. As gueixas, ao contrário do que eu pensava, são mulheres versadas na arte da sedução, de fazer companhia aos homens, não os deixar aborrecer. Não está ligado directamente com a prostituição. Mas pode estar. Visto que o ponto alto de qualquer gueixa é a venda da virgindade. As gueixas embelezam qualquer festa de tão cuidadas e bonitas.

 

A história é contada na primeira pessoa, pela visão da Sayuri. É de uma beleza e sensibilidade sem igual. Passeamos pela cultura do Japão tradicional. Uma cultura que me fascina. Ao mesmo tempo que acompanhamos a aventura da personagem, adquirimos conhecimento.

 

A segunda guerra mundial é o pano histórico deste romance, afectando a vida das gueixas com o encerramento das suas casas.

As personagens são todas muito bem caracterizadas. Tem vilãs intragáveis como a chamada  Mãe e a bela gueixa (e má como as cobras) Hatsumomo. Esta faz de tudo para criar dificuldades à aspirante a gueixa Sayuri. Confesso que ri em algumas passagens com a maldade dela.  A Mãe anota num caderno tudo o que a protagonista lhe deve, trata-a como um objecto, é pouco afectuosa e sensível. Adorei todas as personagens femininas deste livro. A minha personagem preferida é a Mameha, a orientadora e mais tarde designada irmã mais velha de Sayuri. Mameha é uma gueixa com muito sucesso, de quem Hatsumomo também não gosta. Mameha e Sayuri vão unir-se para colocar a Hatsumomo no seu lugar.

 

Arthur Golden formou-se em História de Arte, especializando-se em arte japonesa. Escreveu este livro e mais nenhum. O autor está de facto de parabéns porque escreve na visão de uma mulher brilhantemente.  

Adoro a forma como a história é contada. A escrita é poética e elegante. Tem passagens muito belas. O livro não é de uma leitura rápida devido aos pormenores que o autor revela de forma muito cuidada. Este livro necessita de alguma atenção e disposição.

 

Este livro é extraordinário. Não sei como estive tanto tempo sem ele na minha vida. É completo, fascinante e muito bom.

Fala de escolhas, de coragem e determinação. A vida pode ser ingrata, mas temos de saber superar os obstáculos e atingir os nossos objectivos. Diz a frase “se a vida te dá limões, faz limonada”.

 

Dei quatro estrelas (e meia). Não dei cinco estrelas porque houve uma coisa que não gostei, me fez perder o ritmo de leitura na segunda parte. 

 

 

Se quiseres ver o vídeo com a minha opinião:

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 
A Revolta, Suzanne Collins. 
Li os outros dois, preciso de ler este antes do final do ano, quando estreia a primeira parte do úlltimo filme da trilogia Os Jogos da Fome. 

Se eu Ficar, Gayle Forman.
Vi o trailer quando fui ver A Culpa é das Estrelas. Já comecei a ler o ebook. É bastante curto mas fiquei interessada na sinopse depois do trailer.
Mel, Ian McEwan.
Vai estrear como Serena no cinema. Está na minha estante desde o ano passado. Um presente especial. Tenho de ler antes de ver a queria Jennifer Lawrence brilhar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

A Minha Colecção | Livros de Bolso

por Cláudia Oliveira, em 09.08.14

Hoje resolvi juntar os livros de bolso da minha estante e gravar um vídeo para vos mostrar. Neste vídeo vão estar os livros que li, deixei a meio e os que ainda não li. Espero que gostem. E claro, se já leram algum não deixem de transmitir se vale a pena. 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Harry Potter | Capas

por Cláudia Oliveira, em 08.08.14
tumblr_n9l1frLpqb1qzh4d6o1_500.jpg

tumblr_n9l1frLpqb1qzh4d6o2_500.jpg

tumblr_n9l1frLpqb1qzh4d6o3_500.jpg

tumblr_n9l1frLpqb1qzh4d6o4_500.jpg

tumblr_n9l1frLpqb1qzh4d6o5_500.jpg

tumblr_n9l1frLpqb1qzh4d6o6_500.jpg

tumblr_n9l1frLpqb1qzh4d6o9_500.jpg


Estou completamente apaixonada por estas capas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nós Por Aí | Diogo Amaral e Vera Kolodzig

por Cláudia Oliveira, em 03.08.14

A capa é bonita. Aliás, todo o livro é bonito. O material escolhido em conjunto com o papel de fotografia ficou o máximo. A foto escolhida é muito bonita. O casal em harmonia, com um pôr de sol como cenário. 

 

Tinha a expetativa alta em relação a este livro. Era a primeira vez que ia ler um livro de viagens. Comprei-o sem ouvir nenhuma critica. Simplesmente, comprei-o por ser deste casal e pela temática. 

 

A viagem deles durou quatro meses. Fora à Tailândia, Cambodja, Filipinas, Malásia, Vietname e ainda deram um pulo à Austrália. Levaram mochilas às costas, uma viagem de avião e uma noite num hotel marcada. Partiram à aventura. Dormiram num hotel de prostitutas, visitaram templos, feiras, praias lindas. A Vera tinha uma obsessão por conhecer as Filipinas, no final explica o motivo. Os capítulos são contados na primeira pessoa, alternando entre a Vera e o Diogo. É um livro carregado de espírito de aventura, de fotos lindas. Um diário de viagem pessoal partilhado agora com os leitores. É evidente o sentido de humor dos dois actores, do real sentido e espírito de aventura. Deixam de lado o conforto para sentirem de perto o lado selvagem, a natureza. 

 

São perfeitos companheiros de viagem, com um olhar muito pessoal sobre a vida e as outras culturas. Uma forte vontade de absorver conhecimento através dos outros. 

 

A escrita é descontraída. Tem um ritmo rápido devido à forma como decidiram escrever o diário. Ora um capítulo escreve o Diogo, outro escreve a Vera. Ligam-se muito bem, existe interacção entre eles. Gosto mais dos capítulos contados pela Vera, confesso. O Diogo tem um humor especial, longe daquela figura arrogante que faz parecer no mundo dos famosos. 

 

 

 Gostei imenso de ler este livro. Tive pena que não tivesse mais páginas. Queria mais! Não fui dormir enquanto o livro não terminou tal era o entusiasmo. Superou as expetativas. 

 

Dei cinco estrelas em cinco. Não encontrei defeitos no livro. Só o facto de não ser mais longo. Mas não se pode ter tudo. Talvez decidam fazer outra viagem e escrever outro livro. 
Aqui fica o vídeo com a opinião:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mãe Coragem | Paulo Sousa Costa

por Cláudia Oliveira, em 01.08.14



Sendo uma biografia é natural que a pessoa em causa esteja na capa. O livro é sobre a vida de Dolores Aveiro, uma foto da mãe de Cristiano Ronaldo faz a capa deste livro. Numa foto simples como a personalidade da homenageada. Diversos tipos de letra, muita informação. Acho a capa pouco apelativa. Gosto dos tons rosados mas não gosto da quantidade de frases. Para mim, bastava uma frase na parte inferior do título. 




Não me lembro de ter lido na minha vida alguma coisa escrita por Paulo Sousa Costa. Conheço-o das revistas, mas pouco ou quase nada. A primeira vez que ouvi falar nele e tomei atenção foi quando o filho dele morreu de forma súbita. Lembro-me de ele ter escrito um livro intitulado "Desistir não é Opção" em homenagem ao seu filho. Não conhecia de todo a escrita do autor. Não comprei o livro por ele. Comprei o livro pela Dona Dolores. Grande ideia! Aposto que vai vender imenso e ainda ser traduzido por vários países. 






Expetativas baixas. Talvez um livro sobre Cristiano Ronaldo, pouco focado na mãe. A polémica em redor do livro fez-me comprá-lo assim que saiu. Queria saber se valia a pena todo o aparato ou se a minha visão sobre esta senhora estava correta. 





Este livro conta a vida de Dolores Aveiro desde a infância até à vida atual. Desde a perda da sua mãe, da ida para o orfanato, a relação com o pai e a madrasta. As fugas de casa, os mau tratos. Passando pela fase adulta, o casamento, o nascimento dos filhos, a luta contra a miséria. E claro, a chegada de Cristiano Ronaldo e o ponto de viragem na família Aveiro. Extra, as fotos no centro do livro. 90% sobre Dolores Aveiro, 10% sobre CR7.




 A escrita de Paulo Sousa Costa é simples apesar de ter passagens de grande profundidade. Consegue mexer com os sentidos do leitor, mostra diante da imaginação do leitor a crueldade pelo qual passou Dolores. Gostei, tornou a leitura do livro bastante fluida. Li o livro muito rapidamente. Achei muito bom o autor ter dado um toque de romance à história. 





Raramente leio biografias, não esperava gostar tanto e ficar agarrada do inicio ao fim. Senti-me próxima de Dolores Aveiro. Fiquei a respeitá-la mais. Ser mãe é fácil porque todas podem dar à luz mas ser uma mãe com carácter e garra não. Passar por obstáculos e nunca desistir dos filhos, enfrentar e lutar sempre, assim é Dolores como mãe. Uma mãe de mão cheia. Muitas mães podem ter passado pelo mesmo, este livro dá a voz a uma mãe que ultrapassou e ainda teve a sorte do seu lado. O melhor? Nunca perdeu a humildade. O dinheiro da venda do livro vai para a instituição que a acolheu quando era pequena. Perdoou quem lhe fez mal, em vez de ficar cheia de rancor e transformar-se numa pedra. 


O livro superou todas as minhas expetativas. Emocionei-me, pensei na minha vida, na vida da minha mãe. E no que quero ser como mãe e mulher. Tenho pena que preconceitos envolvam estes livros. Eu gostei imenso da leitura. 





4 estrelas em 5. Não dei 5 estrelas porque acho que o autor pecou um bocadinho na repetição de ideias. Não era necessário voltar a repetir a garra e força de Dolores Aveiro no final do livro, todas as situações descritas fizeram esse papel. Ficava melhor, na minha opinião, a decisão do leitor em relação à homenageada. Sem frases feitas. 


Uma leitura que recomendo aos fãs da família, a curiosos ou admiradores de biografias de pessoas lutadoras. 


Podem assistir ao vídeo sobre a minha opinião se tiverem interessados.








Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


QUER ANUNCIAR O SEU LIVRO? claudiaoliveira23@gmail.com


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds